The Christian Post > Cotidiano|Ter, 30 Jul. 2013 12:35 PM EST

AfroReggae no Alemão será reaberto na quinta-feira, após incêndio

Polícia investiga se as chamas na ONG foram criminosas

PorMaria Carolina Caiafa | Correspondente do The Christian Post

A ONG AfroReggae voltará a funcionar na próxima quinta-feira (1º), às 9 horas, no Complexo do Alemão, segundo divulgou o coordenador do grupo, José Júnior. As atividades foram interrompidas, após um incêndio, em meados de julho, que destruiu parte da pousada do projeto Na Favela, que seria inaugurada no dia 5 de agosto, e da redação do jornal comunitário Voz da Comunidade, no Beco da União, no Conjunto de Favelas do Alemão, na zona norte do Rio de Janeiro (RJ).

  • AfroReggae
    (Foto: Divulgação/AfroReggae)
    AfroReggae é uma ONG, que surgiu em 1993, buscando a valorização da cultura negra, voltada sobretudo aos jovens, por meio da música, como reggae, soul e hip hop.

A pousada continuará fechada. O grupo vai fazer um levantamento para calcular o que foi perdido e o que ainda pode ser recuperado, enquanto a Polícia Civil segue investigando se o fogo foi criminoso.

No dia 16 de julho, José Júnior ao chegar à 22ª Delegacia de Polícia, na Penha, também na zona norte, desabafou, indicando que o fogo seria intencional. “Foi uma ação orquestrada, planejada, feita por gente de fora do Alemão e que tem a ver com as denúncias que venho fazendo sobre determinadas pessoas. Desde fevereiro acontecem coisas estranhas com o pessoal do AfroReggae. É integrante assassinado, tiros na Corrida da Paz e agora esse incêndio. Não posso afirmar com 100% de certeza, porque não tenho provas materiais, mas tenho 20 anos de trabalho em favela, com pessoas que saíram do tráfico e sei que vandalismo não existe. Na favela, as coisas acontecem porque alguém manda”.

Em entrevista recente ao G1, ele negou que a reabertura tenha sido mediada com criminosos, apesar de ameaças feitas à integrantes do AfroReggae: “Nós resolvemos reabrir por nossa conta”, ele explicou. Antes da reabertura, membros da ONG se reúnem com pais de alunos do projeto.

O prefeito Eduardo Paes assumiu a responsabilidade pelos cuidados com o AfroReggae. Nesta segunda-feira (29), José Júnior admitiu que vai manter a parceria com os governos municipal e estadual.

Segundo comunicado oficial, “debate interno e apoio coletivo [governo e comunidade] nos indicou que o trabalho do AfroReggae nas comunidades do Rio muito mais que um desafio é uma missão institucional. Todos estamos juntos para o fortalecimento do trabalho e a ampliação de ações que gerem desenvolvimento das comunidades”.

Curta-nos no Facebook

José Júnior tem destaque nas acusações de estupro, de tráfico de drogas, de lavagem de dinheiro, envolvendo o pastor e líder da Assembleia de Deus dos Últimos Dias (ADUD), Marcos Pereira. Os dois trabalhavam juntos, com o objetivo de retirar os traficantes da vida criminosa e reintegrar detentos a uma vida normal. José Junior fazia uso da arte, enquanto Marcos Pereira usava a religião. A separação aconteceu quando José Júnior afirmou que Marcos Pereira era “a maior mente criminosa do Rio de Janeiro”. Investigações do Ministério Público, levaram o pastor à prisão em maio deste ano (2013).

  • Victoria Osteen e seu esposo Joel Osteen, pastor sênior da Igreja Lakewood em Houston, Te...
  • ...
  • Brasileirão 2013: tabela de classificação completa após 1ª rodada...
  • Protestos ocorrem com a aprovação do casamento gay na França....
Não Perca