The Christian Post > Cristianismo|Qui, 21 Out. 2010 20:53 PM EST

Bento XVI: Escândalo de Abusos Não Pode Desacreditar Voto de Celibato

PorJoshua A. Goldberg | Christian Post Reporter tradutor Amanda Gigliotti

Enquanto o Papa Bento XVI disse, na segunda-feira, que a Igreja Católica Romana se sente “profundamente envergonhada e arrependida” pelo abuso sexual de crianças e jovens nas mãos de sacerdotes, deixou claro para aqueles que estão considerando o sacerdócio, que o voto de celibato não tem culpa.

“Muitas pessoas, incluindo alguns de vocês, podem perguntar-se se é bom converter-se em um sacerdote, se a eleição do celibato tem sentido como uma maneira verdadeiramente humana de viver,” reconheceu o Papa em uma carta aos seminaristas católicos.

Entretanto, o pontífice disse que “inclusive o abuso mais repreensível não pode desacreditar a missão sacerdotal [do celibato], que permanece sendo grande e pura.

“Graças a Deus, todos nós conhecemos sacerdotes exemplares, homens formados por sua fé, que dão testemunho de que não se pode chegar a uma humanidade autêntica, pura e madura no estado e especificamente na vida de celibato,” escreveu.

Os comentários de Bento XVI marcaram a primeira vez que o Pontífice alemão falou diretamente da política de celibato da Igreja Católica no contexto de abuso sexual e a primeira vez que um Papa tem falado dos dois temas em conjunto, segundo alguns especialistas.

Sandro Magister, um veterano observador do Vaticano que escreve para a revista L’Espresso da Itália, disse à Wall Street Journal que a última decisão de Bento XVI sugere que está disposto a engajar em uma discussão que o papa anterior considerou fora dos limites.

Curta-nos no Facebook

Em última instância, Magister disse que acredita que o Papa tem como objetivo “reforçar” a regra da Igreja católica do celibato ao participar no debate.

Até o momento, Bento XVI tem defendido firmemente o celibato, disse em junho que “é um grande sinal de fé.”

Como o matrimônio, o celibato “é um ato de fidelidade e confiança,” adicionou.

Enquanto a sexualidade, Bento XVI escreveu na segunda-feira que é “um dom do Criador,” mas pode chegar a ser “banal e destrutiva” quando não se integra dentro da pessoa – sacerdote e laico.

É importante para o sacerdote, que está chamado a acompanhar a outros através da viagem da vida até o limiar da morte, ter um equilíbrio correto do coração e a mente, a razão e os sentimentos, o corpo e a alma, e de ser um humano integral,” afirmou o pontífice. “Isto também implica a integração da sexualidade em toda a personalidade.”

Bento XVI chegou a dizer que os escândalos de abuso sexual do clero “devem fazer-nos mais vigilantes e atentos.”
O pontífice instou aos seminaristas a examinarem seriamente diante de Deus, enquanto seu caminho como sacerdote para entender se é Sua vontade para com eles.

Disse que seus anos no seminário devem ser um momento de crescimento para a maturidade humana.

  • Victoria Osteen e seu esposo Joel Osteen, pastor sênior da Igreja Lakewood em Houston, Te...
  • ...
  • Brasileirão 2013: tabela de classificação completa após 1ª rodada...
  • Protestos ocorrem com a aprovação do casamento gay na França....
Não Perca