The Christian Post > Mundo|Ter, 31 Ago. 2010 11:28 AM EST

Bispos Anglicanos na África Fazem um Comunicado

PorLillian Kwon | Christian Post Reporter tradutor RosaMaria C. Vitoria

Bispos conservadores na África emitiram um comunicado no domingo, expressando preocupação sobre a "evolução progressiva" no Ocidente e comprometendo-se na luta contra os males sociais do seu continente.

A declaração veio no final de uma conferência de uma semana em Uganda, onde os Bispos de mais de 400 dioceses se reuniram para discutir a crise que enfrentam dentro da Igreja e fora da Igreja.

Os Bispos acordaram em seu comunicado que "a fim de manter o ethos e a tradição da Comunhão Anglicana de uma forma credível, é obrigatório" que todas as províncias na Comunhão Anglicana global continuem a observar e homenagear a moratória sobre a ordenação de parceria dos homossexuais, a bênção de uniões do mesmo sexo e as intervenções transfronteiras.

Como anteriormente expressa, os Bispos conservadores disseram que estavam "muito tristes" com a ação recente da Igreja Episcopal (TEC) dos Estados Unidos de consagrar uma parceria lésbica em Los Angeles. A Rev. Mary Glasspool foi a segunda bispo abertamente homossexual a ser consagrada no corpo da U.S. Apesar dos apelos de retenção pela comunhão mais ampla.

Duas províncias anglicanas,foram solidárias à dor e raiva sentida pela maioria dos Bispos da África. Mas eles urgiram contra cortar laços com a Igreja Episcopal.

"Reconhecemos que todas as províncias e dioceses na África não toleram a ação da TEC. No entanto, as províncias diferem em suas relações com a TEC em função das suas ações," declararam numa carta as províncias da África Central e África do Sul, segundo a VirtueOnline. "Algumas províncias continuam a valorizar as suas parcerias históricas com a TEC e seus órgãos. Para descartar essas relações seria o equivalente a abandonar o nosso apelo do Evangelho a lutar com a falha de cada um de nós na nossa viagem com Cristo no espírito do perdão e na reconciliação como estávamos sendo apaixonadamente recordados e a viver com a nossa rica diversidade."

Curta-nos no Facebook

Além disso, enquanto muitos dos Bispos da África reconheceram formalmente um corpo anglicano recém-formado nos Estados Unidos que é visto como um rival para a Igreja Episcopal, as duas províncias africanas disseram que não suportam "a posição do novo órgão de legitimidade através da eliminação do TCE."

"Qualquer pensamento em abandonar a nossa comunhão com qualquer outro membro do corpo vai doer; porque quando uma parte do corpo é ferida todo o corpo sofre," afirmaram eles.

A Igreja Anglicana na América do Norte foi estabelecida no verão passado.

Durante a 2ª conferência All Africa Bishops, vários bispos reuniram-se com o chefe espiritual da Comunhão Anglicana, o Arcebispo de Canterbury Dr. Rowan Williams.

O Arcebispo Henry Luke Orombi da Igreja de Uganda estava entre os que disseram a Williams que não deve haver nenhuma diplomacia mais sobre a questão do homossexualismo, conforme relatado pela CNN.

"Ele (Williams) disse o que estava em sua mente e nós também falamos," explicou Orombi. "Nós estamos impressionados de que ele tenha ido totalmente em uma direção diferente e de que ele tem que resolver o problema.

"Nós simpatizamos com a sua posição como chefe da Comunhão Anglicana sofrendo a desunião por razões morais e o ensino da escritura," acrescentou. "Temos as nossas mentes muito claras de que ele vai voltar, sabendo que não há nenhuma área obscura da nossa parte."

Embora a conferência na semana passada abordasse a questão altamente divulgada e as divisões da homossexualidade, as questões de desenvolvimento na África estavam no topo da agenda dos Bispos, de acordo com Williams.

Parte de leituras na declaração dos Bispos Africanos: "Nós temos que estar ativamente envolvidos em trabalhar com parceiros em todos os níveis para garantir a igualdade de acesso aos cuidados médicos, segurança alimentar e a promoção de boas práticas de higiene para evitar que as principais causas de morte no continente, com especial atenção aos principais cuidados de saúde para famílias africanas, especialmente as mães, crianças e idosos.

"A Igreja Anglicana da África tem de aderir ao movimento global que se recusa a permanecer silenciosa sobre o estado atual de sócio-económico e político dos assuntos. Devemos parar de agonizar sobre o estado deplorável do subdesenvolvimento Africano e começar a organizar no sentido de um compromisso pró-ativo e pragmático com boa governação e o desenvolvimento da infra-estrutura.

Os Bispos também pediram para autorizações porem fim a todas as formas de abuso e de escravidão e a promoção da educação.

  • Victoria Osteen e seu esposo Joel Osteen, pastor sênior da Igreja Lakewood em Houston, Te...
  • ...
  • Brasileirão 2013: tabela de classificação completa após 1ª rodada...
  • Protestos ocorrem com a aprovação do casamento gay na França....
Não Perca