The Christian Post > Política|Qua, 1 Set. 2010 01:31 AM EST

Sugestão para o Centro Inter-Religioso Sarar Discórdia da Mesquita

PorNathan Black | Repórter do Christian Post tradutor Nelson Azevedo

Melhor que mover a mesquita para longe do local dos ataques terroristas do 11/09 na Cidade de Nova Iorque, a presidente do comitê da comunidade da cidade sugeriu adicionar um componente inter-religioso para ajudar a sarar a discórdia.

  • park-place
    Foto: AP Images / Lanzano Louis)
    Os pedestres passam pelo edifício do século 19 em Park Place, Manhattan, onde os Muçulmanos planejam construir um centro cultural e mesquita, sábado, 14 de Agosto de 2010, em Nova York.

"A mesquita e o centro comunitário perto do Marco Zero não deveriam ser amparados como um campo de batalha de discórdia, mas sim ser transformado num centro inter-religioso para reconciliação e paz - contendo templos ecumênicos de adoração a serem compartilhados por Muçulmanos, Cristãos e Judeus," escreveu Julie Menin, presidente do Comitê da Comunidade 1, num comentário segunda-feira no New York NotíciasDiárias.

"Seu propósito - de nos aproximar mais, e não nos dividir ainda mais - poderia ser afirmado nos planos modificados."

Menin, que votou em maio a favor do desenvolvimento do centro cultural islâmico e mesquita a duas quadras do marco zero, reconheceu que o projeto se tornou "um símbolo de discórdia e dissidência."

Ela expressou seu desejo de ver o projeto de $100 milhões ser transformado num centro inter-religioso para reconciliação e paz como uma forma de resolver o problema o qual se tornou um debate nacional.

Ela sugeriu que Muçulmanos por trás do projeto dedicassem um piso do centro islâmico de 15 andares para um espaço ecumênico inter-religioso. A capela inter-religiosa no Pentágono, que também foi atacada em 2001, foi citada como um exemplo de um lugar de adoração que foi construído num chão consagrado sem controvérsia.

Curta-nos no Facebook

"O projeto, aberto a todos, celebraria todas as crenças e entendimento inter-religioso entre todos," escreveu Menin.

O centro comunitário planejado no 45-51 Park Place foi promovido como um esforço para melhorar as relações entre Muçulmanos e o ocidente e para promover tolerância e pluralidade. O centro incluirá instalações de fitness, programas educacionais, salas de meditações e uma mesquita. Pelos últimos meses, no entanto, o projeto arrecadou uma oposição feroz, incluindo muitas famílias das 3,000 vítimas dos ataques do 11/09, as quais acusam os desenvolvedores do projeto de insensibilidade.

De acordo com uma pesquisa recente do Centro do Banco de Pesquisa, 51 porcento dos americanos concordam com aqueles que se opõem à construção da mesquita perto do World Trade Center e somente 34 por cento concordam com aqueles que dizem que a construção deveria ser permitida.

Ao mesmo tempo, a maioria dos americanos dizem que Muçulmanos deveriam ter os mesmo direitos como outros grupos para construir seus templos de adoração.

Mesmo assim, mais de um terço (35 por cento) dos entrevistados acreditam que a religião incentiva violência mais que outras religiões. Também, poucos americanos (30 porcento) têm uma opinião favorável sobre o Islã comparado com cinco anos atrás quando 41 porcento tinham uma opinião favorável. A maioria (55 porcento), no entanto, diz que eles não sabem muito ou quase nada sobre a religião muçulmana.

A pesquisa foi conduzida nos dias 19-22 de agosto de 2010.

Essa semana, Muçulmanos-Americanos lançaram uma campanha com um anúncio on-line para enfrentar as opiniões negativas.

"Muitas pessoas têm lhes contado o que pensam dos Muçulmanos. Eles dizem vocês deveriam temer-me, suspeitar de mim, me odiar. Mas a verdade é que não quero impor minha fé em você. Não quero tomar conta desse país. E também não apoio terrorismo," dizem Muçulmanos no anúncio.

"Estou aqui e estive aqui por gerações querendo a mesma coisa que você quer – vida, liberdade, paz e felicidade. Eu sou norte-americano. Eu sou Muçulmano. Essa é a minha fé. Essa é a minha voz.

O anúncio é um esforço popular por Muçulmanos-Americanos de todo o país. Foi lançado por uma rede independente que não tem afiliação qualquer com nenhuma organização ou escola de pensamento, de acordo com o site da Minha Fé Minha Voz.

Entretanto, opositores da mesquita perto do marco zero pedem transparência para a fonte de financiamento do centro comunitário islâmico. Alguns temem que possa estar relacionado com organizações sharia. De acordo com a Imprensa Associada, os desenvolvedores incorporaram dia 23 de agosto uma organização sem fins lucrativos, a qual é exigida antes de começar uma campanha de capital. Os desenvolvedores também devem $227.570 de impostos do edifício onde o centro será construído.

  • Victoria Osteen e seu esposo Joel Osteen, pastor sênior da Igreja Lakewood em Houston, Te...
  • ...
  • Brasileirão 2013: tabela de classificação completa após 1ª rodada...
  • Protestos ocorrem com a aprovação do casamento gay na França....
Não Perca