The Christian Post > Cristianismo|Sex, 18 Mai. 2012 10:56 AM EST

Como a igreja deve, amar um Casal Gay? (Parte 1)

PorPaul Stanley | Colaborador do The Christian Post tradutor Amanda Gigliotti

Como os cristãos devem demonstrar amor e ministrar aos casais que vivem em um estilo de vida homossexual, quando estes casais vão à igreja?

  • glee
    (Foto: Divulgação)
    O casal de adolescentes Kurt (Chris Colfer) e Blaine (Darren Criss), vai ter sua primeira transa em "Glee".

Tanto os cristãos como não cristãos parecem perplexo com a questão. Isso ameaça criar uma divisão cada vez mais profunda dentro da igreja. Sermões recentes de pastores bem conhecidos e populares, que, sem negligenciar o pecado sexual, param de dizer que a homossexualidade é proibida ou pecaminosa, produziram intensa controvérsia.

Até mesmo o presidente Obama abordou a questão esta semana, quando ele finalmente manifestou apoio público ao casamento homossexual (algo que os ‘insiders’, tanto da esquerda e da direita afirmam que o presidente apoiou discretamente o tempo todo):

"No final, os valores que eu me importo mais profundamente, e que ela (Michelle Obama) se preocupa mais profundamente é como tratamos as outras pessoas", disse Obama.

Para ajudar a responder essas perguntas, o The Christian Post procurou pessoas que anteriormente foram envolvidas em relações homossexuais, pastores e líderes cristãos proeminentes que poderiam fornecer um vislumbre de como seriam os cuidados eficazes de acordo com as suas experiências pessoais e profissionais.

Sem exceção, todos os entrevistados deste artigo concordaram que, tendo uma abordagem empática e amorosa é especialmente importante para aqueles que tomam a decisão de frequentar uma igreja - ou já frequenta uma igreja - uma vez que muitos dos envolvidos no homossexualismo têm sido assustado com a igreja ou carregam por aí lembranças dolorosas de experiências anteriores associadas com o Cristianismo.

Curta-nos no Facebook

Mas todos concordaram que, em algum momento, a questão do pecado tem que ser tratada de forma adequada, especialmente se eles querem se envolver ou ganhar a adesão dentro da igreja.

Allen Hildreth, um cristão nascido de novo que vive em East Tennessee se descreve como uma pessoa " despretensiosa, descontraída e não-confrontacional". Até 10 anos atrás, ele estava imerso em um estilo de vida homossexual, antes de encontrar Jesus.

Hildreth agora aconselha os indivíduos e familiares daqueles que estão lutando com sua identidade sexual e que ele tem em primeira mão conhecimento da complexidade da questão. No entanto, ele acredita que primeira questão que os cristãos precisam descobrir sobre alguém que frequenta a igreja e é envolvido em um estilo de vida homossexual é onde ele está em sua relação com Cristo.

"Acho que a maioria dos homens e mulheres que estão envolvidos no homossexualismo não querem nada com a igreja e eles vão te dizer isso", disse Hildreth CP. "Mas os que fazem o esforço para vir à igreja estão à procura de respostas e é nossa responsabilidade como cristãos ajudá-los. Mas a abordagem que adotamos provavelmente irá fazer a diferença para ele ficar na igreja ou sair. "

"A primeira coisa que qualquer cristão deve fazer quando alguém entra em uma igreja é saudar calorosamente e recebê-los à casa de Deus", disse Hildreth. "Somos todos pecadores necessitados de um lar. Quanto ao casal que está envolvido em um estilo de vida homossexual, acho que a igreja deve lidar com eles como eles qualquer outra pessoa - um viciado em drogas, álcool ou qualquer outro pecador. Mas a peça mais importante do conselho que posso oferecer é que eles devem conhecê-los e ouví-los."

O conselho de Hildreth foi que os homens precisam lidar com homens e mulheres com mulheres. Ele disse que os homossexuais têm às vezes dificuldade em lidar com o sexo oposto, assim, alguém do mesmo sexo precisa ser aquele a iniciar a relação. Ele disse que na maior parte do tempo o público tem uma visão distorcida dos homossexuais.

"A esmagadora maioria dos homossexuais não é a que você vê em noticiários da televisão ou que escreve artigos de blogs em sites", disse Hildreth. "A maioria vive uma vida tranquila, modesta e quer se resguardar."

"Os ativistas fazem parte do que consideramos o grupo de "elitista" e eles são os únicos que questionam o status quo e forçam a questão. Seu objetivo é convencer o público de que a homossexualidade não é pecado, mas sim uma parte do que eles são e que eles são cidadãos cumpridores da lei que são bons vizinhos e membros produtivos da comunidade."

A questão de quão grande é a comunidade homossexual é outro ponto amplamente debatido. De acordo com Harvest USA, uma organização cristã que trabalha com homens e mulheres que estão envolvidos ou lutando com a homossexualidade, 6 por cento dos homens e 11 por cento das mulheres tiveram pelo menos um encontro sexual do mesmo sexo em algum momento de suas vidas.

Cerca de 8 por cento dos homens entre as idades de 18 e 44 são homossexuais ou bissexuais, enquanto que 13 por cento das mulheres mesma faixa etária caem na mesma categoria.

Muitos associam a homossexualidade com homens, mas como as estatísticas mostram, mais mulheres estão envolvidas em relações do mesmo sexo que os homens.

  • ...
  • Brasileirão 2013: tabela de classificação completa após 1ª rodada...
  • Protestos ocorrem com a aprovação do casamento gay na França....
  • Wanderlei Silva no TUF Brasil...
Não Perca