The Christian Post > Mundo|Ter, 16 Set. 2014 06:40 AM EST

Contra racismo, homem pede para queimar imagem de Jesus branco

O autor da iniciativa teve a ideia a partir do viral 'Desafio do Gelo'

PorLuciano Portela | Repórter do The Christian Post

Uma campanha criada na rede social YouTube tem chamado a atenção da mídia nos EUA, onde um homem negro pede para que "queimem Jesus branco" ("burn white Jesus", em inglês).

  • Ku Klux Klan
    (Foto: Reuters)
    Membros da organização racista Ku Klux Klan em manifestação no Texas, em junho de 2000.

Durante o vídeo, ele pede que as pessoas ateiem fogo em imagens que retratam Jesus Cristo como um homem branco.

A gravação do canal "Mr. Savannah Black", seria uma reação ao viral "Desafio do Gelo" ("Ice Bucket Challenge", em inglês), campanha criada em alerta para doença degenerativa Esclerose Lateral Amiotrófica (ELA).

No Desafio do Gelo, milhares de celebridades toparam tomar um banho de gelo para chamar a atenção a respeito da paralisia que a ELA causa no corpo do portador da doença.

Agora, Mr. Savannah Black desafia todos a queimarem uma foto de Jesus branco, por acreditar que a imagem se trata de uma referência preconceituosa de Nosso Salvador.

Savannah Black argumenta que firmar a imagem de Jesus como um indivíduo branco e caucasiano é um sinônimo de supremacia branca, e portanto é uma visão que não deve ser aceita.

Curta-nos no Facebook

Em seu perfil na rede social Facebook, ele acrescenta que aceitar o desafio é uma forma de irmãos e irmãs se solidalizarem sobre a questão do racismo.

Para Savannah, cada um que aceita a iniciativa, promove " um novo dia e uma nova maneira de pensar para os homens e as mulheres negras dentro desta dimensão de realidade".

As reações sobre o desafio se divergem. Enquanto alguns compram a ideia, e até já repassam gravações queimando a imagem de Jesus branco, outros enxergam como uma espécie de "petulância".

Autor de um site secularista em inglês, o blogueiro Michael Stone of Patheos aprovou o viral do vídeo do fogo.

"Como para os afro-americanos, eles têm boas razões para rejeitar qualquer símbolo do do cristianismo pelo fato de que o cristianismo já foi usado para justificar a subjugação, a escravidão e o abuso de africanos, e outros não-brancos, por séculos", afirma Stone.

Já V. Saxena, do site downtrend.com, comentou que a tendência "burn white Jesus" é algo um "tanto irritante e insolente".

Saxena chega a questionar a ideia como algo contraditório para os dias de hoje. Como exemplo, a autora conservadora aborda sobre a cantora negra Beyoncé Knowles.

Ela explica que queimar a imagem de Jesus branco não orienta as pessoas à nada, enquanto poderiam tomar a iniciativa de criticar e conscientizar uns aos outros sobre algo mais relevante, como a imagem "sexista" que Beyoncé transmite, educando jovens e crianças negras de uma forma inadequada.

"O que você considera mais racista? Queimar a imagem de Jesus só porque ele é retratado como branco, ou criticar Beyoncé para a promoção orgulhosa da sexualidade adulta para crianças pequenas?", questiona Saxena.

  • Victoria Osteen e seu esposo Joel Osteen, pastor sênior da Igreja Lakewood em Houston, Te...
  • ...
  • Brasileirão 2013: tabela de classificação completa após 1ª rodada...
  • Protestos ocorrem com a aprovação do casamento gay na França....
Não Perca