The Christian Post > Política|Sex, 29 Out. 2010 08:59 AM EST

Cristãos, Celebridades Dizem à Juventude LGBT: "Vai Melhorar"

PorLillian Kwon | Christian Post Reporter tradutor Amanda Gigliotti

Os líderes religiosos estão emprestando sua voz a um projeto de vídeo lançado recentemente, reunindo celebridades e figuras políticas que asseguram aos jovens gays e lésbicas tiranizados que "Vai Melhorar."

  • it-gets-better
    (Foto: It Gets Better projecto através do Christian Post)
    (Da direita para esquerda) O Rev. Mark S. Hanson, bispo presidente da Igreja Evangélica Luterana na América, o presidente Barack Obama, a secretária de Estado Hillary Clinton, bispo episcopal de New Hampshire, Gene Robinson, participam do Projeto "It Gets Melhor" para apoiar jovens LGBT que são intimidados.

Numa mensagem de vídeo acrescentado quinta-feira, o bispo presidente da Igreja Evangélica Luterana na América, disse às vítimas de intimidação que Deus os ama.

"Eu escutei com dor e choque os relatos dos jovens tirando suas vidas porque foram humilhados e atormentados por serem diferentes, por serem gays ou desconfiados de serem gays, por serem o povo de Deus os criou para ser," disse o Rev. Mark S. Hanson.

Ele enfatizou, "Você é um filho amado de Deus. Sua vida traz a dignidade e a beleza da criação de Deus. Há um lugar para você neste mundo e na Igreja."

As Projeto ‘Vai Melhorar’ (It Gets Better) foi fundado pelo ex-católico Dan Savage. De acordo com o projeto, 9 de 10 LGBT estudantes (lésbicas, gays, bissexuais, transgêneros), são vítimas de assédio na escola e mais de um terço deles têm tentado cometer suicídio. Proporcionando um sistema de apoio à juventude LGBT, dezenas de vídeos de pessoas comuns, bem como figuras de renome dão esperança e contam histórias de superação de intimidação e encontram a felicidade.

Algumas das figuras conhecidas que gravaram mensagens de vídeo inclui artistas da música Jewel, Eva, e Emily e Martie de Dixie Chicks, a secretária de Estado, Hillary Clinton, presidente da Câmara, Nancy Pelosi, e Randy Roberts Potts, neto de tele-evangelista Oral Roberts.

Curta-nos no Facebook

O presidente Barack Obama acrescentou o seu apoio ao projeto.

Expressando choque e tristeza pela morte de vários jovens que foram intimidados e cometeram suicídio, Obama disse: "É o meu coração. É algo que simplesmente não deveria acontecer neste país."

"Quando você é alvo de chacotas ou intimidado, pode parecer de alguma forma você trouxe isso sobre si mesmo por ser diferente ou por não se adequar a ninguém mais," continuou ele. "Mas o que eu quero dizer é isto: Você não está sozinho Você não fez nada de errado...”

"Nós temos que acabar com esse mito de que o insulto é apenas um rito normal de passagem, que é uma parte inevitável do crescimento. Não é."

Um número de líderes cristãos que gravou mensagens reconheceu que alguns Cristãos podem ter aumentado a dor que os jovens LGBT sentem.

"Às vezes, as palavras dos meus irmãos e irmãs cristãos te machucam e eu também sei que o nosso silêncio lhe causa dor," disse Hanson, cuja denominação passou a aceitar abertamente gay ministros no ano passado.

Empregando mais dura retórica, bispo episcopal de New Hampshire, Gene Robinson, apontou o dedo para os católicos, batistas e os mórmons que dizem aos gays que sua vida não é aceitável a Deus.

"Eu quero dizer a você como uma pessoa religiosa, que eles estão totalmente errados. Deus te ama do jeito que você é," disse o bispo abertamente gay, cuja ordenação em 2003, causou tumulto na Comunhão Anglicana.

Seu vídeo gerou polêmica sobre o seu ataque a outros grupos religiosos.

"Robinson tem direito à sua opinião e sua própria teologia moral. Podemos discordar respeitosamente sobre suas conclusões. Mas eu não posso respeitar a maneira como ele foi se despedir descaradamente (e, na verdade, deturpando) os ensinamentos morais dos outros," disse Greg Kandra, um diácono católico romano da Diocese de Brooklyn, NY, em uma postagem no blog da Beliefnet.

Desde o recente suicídio dos adolescentes gays, líderes evangélicos têm notado que muitos estão a culpar a Igreja por sua "retórica anti-gay."

O Comentarista Evangélica Chuck Colson chama uma tendência preocupante e teme que o lobby gay possa usar as tragédias para a sua agenda e silenciar aqueles que se opõem à eles. Apesar de chamar os Cristãos para condenar o assédio moral em todas suas formas, ele também destacou a necessidade dos fiéis de defender a moralidade bíblica, mas "de uma forma que rejeita condenação e convida conversação e à conversão."

Jim Daly, presidente da Focus on the Family, também não acredita que é acurado sugerir que o Cristianismo é culpado pelas tragédias, simplesmente porque as Igrejas e organizações ensinam que as Escrituras colocam a atividade homossexual fora do design de Deus para a sexualidade humana.

Na verdade, ele acredita que o Cristianismo - quando devidamente interpretado e praticado - é a solução para os maus-tratos de qualquer um.

"Se houver um único fio de tecido de ouro através da Bíblia e da fé que informa, seria o seguinte: quando se trata de direitos humanos e como tratar uns aos outros, ninguém é superior ou inferior para o próximo. Sim, o pecado existe; e Deus não perdoa. Mas Ele abraça o pecador e isso significa cada um de nós," escreveu à ele em uma postagem no blog da CNN.

"Então, violar a dignidade de outra pessoa, em qualquer forma ou meio, é contradizer a própria base do Evangelho de uma vida centrada. E sugerir que uma compreensão ortodoxa do Cristianismo incentiva o abuso contra os homossexuais é uma leitura errada e triste dos princípios da fé."

  • Victoria Osteen e seu esposo Joel Osteen, pastor sênior da Igreja Lakewood em Houston, Te...
  • ...
  • Brasileirão 2013: tabela de classificação completa após 1ª rodada...
  • Protestos ocorrem com a aprovação do casamento gay na França....
Não Perca