The Christian Post > Política|Seg, 29 Abr. 2013 14:20 PM EST

Depois de legalização do casamento gay na França, Rússia pode impedir franceses de adotarem crianças russas

Presidente da Rússia diz que seu governo vai buscar mudanças no acordo de adoções por pais franceses

PorAdoniran Peres | Correspondente do The Christian Post

Com a aprovação pelo parlamento francês na terça-feira do casamento gay e a adoção de crianças por pais homossexuais, o presidente da Rússia, Vladimir Putin, afirmou nesta sexta-feira (26) que seu governo vai buscar mudanças no acordo que regulamenta as adoções de crianças russas por pais franceses. Putin alega que a nova lei na França vai contra aos valores tradicionais russos.

  • casamento gay
    (Foto: Reuters)
    Protestos ocorrem com a aprovação do casamento gay na França.

A Rússia já havia suspendido as adoções por norte-americanos após uma disputa com Washington sobre direitos humanos. Segundo informações da Reusters Brasil, qualquer movimento para acabar com o acordo com a França, ou impor novas restrições, pode aprofundar a divisão entre Putin e nações europeias sobre os direitos dos homossexuais.

Desde quando começou o mandato, há um ano, o presidente Russo defende os valores considerados socialmente conservadores. Na Holanda, Putin foi recebido neste mês de abril por manifestantes que protestavam contra a legislação da Rússia, entendidas por muitos como discriminatória aos homossexuais.

O anúncio do presidente Russo foi expressado em apoio à deputada regional, Marina Orgeyeva, durante uma reunião que tratava sobre questões infantis, em que propôs rever o acordo de adoção com a França por causa do casamento gay. "Respeitamos os nossos parceiros, mas pedimos que respeitem as nossas tradições culturais e as normas éticas, legislativas e morais da Rússia. Eu acho que nós temos o direito de fazer as alterações", disse Putin, segundo Reuters Brasil.

O casamento homoafetivo e a adoção por casais do mesmo na França foi sancionada pelo presidente François Hollande e deve permitir que os primeiros casamentos sejam realizados já no meio deste ano. A decisão tem causado muita discussão e protestos no país e dividindo opiniões.

Segundo pesquisa do instituto BVA, 58% da população francesa se declaram favoráveis ao casamento gay.

Curta-nos no Facebook

Entre as manifestações na França, cerca de 50 mil pessoas contrárias ao casamento gay marcharam no último dia 21 de abril pelas ruas de Paris, com bandeiras nas cores rosa e azul, em protesto contra lei que viria ser aprovada no dia 23 de abril.

  • Victoria Osteen e seu esposo Joel Osteen, pastor sênior da Igreja Lakewood em Houston, Te...
  • ...
  • Brasileirão 2013: tabela de classificação completa após 1ª rodada...
  • Protestos ocorrem com a aprovação do casamento gay na França....
Não Perca