The Christian Post > Cristianismo|Qui, 21 Jun. 2012 12:10 PM EST

Dízimo é uma regra férrea para os cristãos?

PorLillian Kwon | Christian Post Reporter tradutor Amanda Gigliotti

A questão permanece para muitos cristãos de hoje: Será que a Bíblia exige que os fiéis deem o dízimo (ou dar 10 por cento de sua renda), assim como os seguidores de Deus fizeram no Antigo Testamento?

  • dízimo
    (Foto: Reuters/Mark Blinch)
    Dízimo

A resposta curta: sim e não, de acordo com o pastor evangélico JD Greear.

Pastor da Summit Church, em Durham, na Carolina do Norte, Greear recebeu muitas perguntas sobre se o dízimo é ou não bíblico. A questão, muitas vezes, se volta para "estamos sob a lei ou a graça?"

Greear sustenta que, embora "Jesus nos deixou em NENHUMA PARTE da lei, nem dízimo ou qualquer outra coisa," a idéia de dar 10 por cento de tudo o que Deus dá permanece um "bom guia".

"Nós não estamos mais sob o estado da nação teocrática de Israel, mas como Deus estabeleceu sua economia para o Seu povo não mudou", escreveu ele em seu blog. "A lei foi dada para ajudar as pessoas a viver no shalom de Deus. Isso é o que dá à lei (princípios, como tirar o sábado e o dízimo) um efeito duradouro."

O dízimo, sublinhou, não é uma "regra de ferro " para os cristãos como foi para os israelitas. Ao mesmo tempo, o Evangelho chama para um maior nível de resposta às leis de Deus, ele argumentou.

Curta-nos no Facebook

"[A] lei dizia" Não matarás "; todavia, Jesus disse que o Evangelho exige que amemos o nosso irmão sempre e não o odiemos, nem mesmo os nossos inimigos", escreveu ele. "Assim, se a lei diz ‘dê 10%,’ a que tipo de generosidade o Evangelho nos chama? Não seria maior generosidade do que 10%, assim como os outros comandos também foram intensificadas em Cristo?"

Um relatório divulgado no ano passado sobre o "estado das ofertas da igreja até 2009", revelou que o dízimo entre os protestantes atingiu seu nível mais baixo em 41 anos. Os paroquianos estavam apenas dando cerca de 2,38 por cento de sua renda para a igreja em 2009, abaixo dos 2,43 por cento em 2008, de acordo com o relatório do empty tomb, inc.

Além disso, uma pesquisa de 2011 constatou que a maioria dos líderes evangélicos não acreditam que a Bíblia exige o dízimo. A pesquisa da Associação Nacional de Evangélicos revelou que 58 por cento não acreditam que dízimo é necessário, enquanto 42 por cento acreditam.

No entanto, a maioria dos líderes da NAE disse que eles dão, pelo menos, 10 por cento de sua renda e sustentou que os cristãos devem dar por generosidade.

Pete Wilson, pastor sênior da Igreja Ponto Cruz em Nashville, tem uma visão semelhante.

"Se você me perguntar se você deve dar o dízimo, eu diria. Provavelmente não. Eu acho que você deve realmente estar dando uma proporção maior de sua renda", afirmou em um post de maio.

"A graça de Jesus Cristo deve obrigar-nos a dar mais do que a lei já exigiu!"

Da mesma forma, Greear acredita que para "pessoas tocadas pelo Evangelho, o dízimo nunca deveria ser o teto de suas doações, mas deveria ser o chão."

E os cristãos devem separar o "dízimo" antes de qualquer outra despesa. Para ele, o princípio de "primícias" significa também o dízimo antes de impostos.

“A maioria de nós, mesmo aqueles com mais do que precisamos, quase sempre sentem que ‘não podem pagar os 10%.’ Eu nunca cheguei ao fim do mês com 10% de minha renda voando por aí. É por isso que eu acho que o princípio das primícias é tão crucial para viver em Deus", escreveu ele. "Primícias devem ir para Deus, 10% é um ótimo lugar para começar."

Reconhecendo que os seus argumentos sobre o dízimo poderia sair como "self-serving" e "manipulador", considerando seu papel como um pastor, Greear exortou aqueles que são suspeitos de dar o seu dízimo em outro lugar.

“Se isso incomoda você, não precisamos de seu dinheiro. Dê isso em outro lugar, mas eu quero que você experimente a alegria de obediência e fé nesta área", frisou.

Em resposta a um leitor que afirmava que o dízimo terminou na cruz e que ainda rejeitou o argumento de que aqueles que não dão dízimo estão roubando a Deus, Greear deixou uma coisa bem clara: "Deus não precisa do nosso dinheiro ou nossa adoração ou o nosso compromisso ou qualquer outra coisa. "

"O culto da igreja se trata inteiramente do que Deus tem dado a nós em Cristo e como podemos responder a isso livremente a partir de nossa adoração e sacrifício e dinheiro", afirmou." Deus não precisa de nada que é oferecido em adoração. Nós somos os mais necessitados. Então, a nossa oferta é para Deus, mas em resposta ao que Deus tem feito, e usado para propagar ainda mais o que Deus está dando para nós."

O pastor da Igreja Cúpula dá mais de 10 por cento de sua renda para a igreja. Enquanto ele e sua esposa começaram com 10 por cento, ele disse que eles têm aumentado anualmente a porcentagem do que eles dão e agora dão "muito acima do dízimo para a igreja, e, em seguida, além de disso" dão a outros ministérios.

  • Victoria Osteen e seu esposo Joel Osteen, pastor sênior da Igreja Lakewood em Houston, Te...
  • ...
  • Brasileirão 2013: tabela de classificação completa após 1ª rodada...
  • Protestos ocorrem com a aprovação do casamento gay na França....
Não Perca