The Christian Post > Cristianismo|Qui, 13 Mai. 2010 08:30 AM EST

Número Total de Igrejas nos EUA Não Está Mais Diminuíndo

PorLillian Kwon | Christian Post Reporter tradutor Manoel M. Jr.

Frequentemente ouvimos que Igrejas têm fechado suas portas nos EUA. No entanto alguns podem ficar surpresos em ouvir que o número total de Igrejas não está mais diminuindo.

Uma importante mudança aconteceu nos últimos anos de acordo com os pesquisadores Ed Stetzer e Warren Bird. Após décadas em declínio, mais Igrejas tem sido abertas em cada ano que fechado as suas portas.

A maior parte do crédito vai para o recente aumento no entusiasmo para fundar Igrejas. Stetzer que lidera a Pesquisa LifeWay diz que o nascimento de Igrejas tem se tornado “a onda” do momento e o novo evangelismo.

Muitas novas Igrejas estão surgindo que Stetzer e Bird acreditam que os EUA estão à beira de ver o maior avanço em multiplicação de Igrejas. Eles escrevem: ajude aos fundadores de Igreja a se tornarem criadores de Movimento.

Iniciar Igrejas está na mente dos Cristãos da América do Norte em níveis sem precedentes, escrevem.

Apesar do aumento agressivo no surgimento de Igrejas, o fenômeno maciço de abertura de Igrejas ainda não ocorreu e os co-autores tem esperança em ajudar os Cristãos a transporem certos obstáculos do passado a fim de orquestrarem um movimento contagiante.

Curta-nos no Facebook

Isso significa que a abertura de Igrejas deve deixar de ser um modismo ou “a próxima grande coisa” para ser uma “perseguição apaixonada aos perdidos”.

Um outro obstáculo está sendo vencido que é a mentalidade “nós já não temos Igrejas demais?”
Pode haver dúvidas em se ter ênfase em abrir novas Igrejas porque “parece que temos uma Igreja em cada esquina e muitas estão vazias”, declaram os autores, que têm conduzido os estudos sobre surgimento de Igrejas.

Mas pesquisas mostram que novas Igrejas estão bem melhores quando trazem novas pessoas e elas tem uma alta taxa de conversões e batismos comparados a muitas Igrejas antigas, de acordo com o Viral Churches.

“O único jeito de aumentar o número de Cristãos em uma cidade é abrir milhares de novas Igrejas” disse Tim Keller, pastor fundador da Igreja Presbiteriana do Redentor em Nova York”. Acrescenta.

O crescimento das Igrejas aumentaram apenas 20% comparando todas as igrejas nos EUA. O restante tem alcançado o patamar ou estão em declínio.

“Estudos mostram que, em geral, as Igrejas chegam ao auge em quinze anos, e por cerca de trinta e cinco anos começam a ter problemas em repor os membros que saem” diz o livro “Entre as Igrejas evangélicas, as de três anos irão ganhar dez pessoas para Cristo por ano para cada cem membros. Aquelas com três a quinze anos ganhará cinco pessoas por ano para cada cem membros. Após quinze anos o número cai de três pessoas por ano”.

Ainda de acordo com a FACT2008, as Igrejas saudáveis são aquelas que reproduzem. Também, os autores enfatizam que a maioria das novas Igrejas sobrevivem. Após quatro anos, 68% das novas Igrejas ainda existem e 70% chegam ao quinto ano.

A cada ano, aproximadamente 4 mil igrejas foram abertas nos EUA (500 a mais das que foram fechadas) . Mas muitas das Igrejas que foram abertas tem estado focadas na soma que na multiplicação, apontam os autores.

Uma Igreja plantada uma nova Igreja por ano é definitivamente algo para celebrar. Mas para alcançar um grande movimento de replicação de Igrejas. As Igrejas precisam parar de iniciarem novas Igrejas a partir de divisões para plantar Igrejas (focada em alcançar as pessoas perdidas) pessoais nascidas de novo para ir e contagiar o coração das outras pessoas com a multiplicação.

Em outras palavras, em vez de plantar uma árvore por vez em um campo fértil, as Igrejas precisam se multiplicar e preencher o campo inteiro com pomares saudáveis.

Finalmente, Stetzer e Bird tem esperança em ver um movimento de multiplicação semelhante ao que ocorreu entre 1795 e 1810 entre as Igrejas batistas e metodistas. Nesse período mais de 3000 igrejas foram iniciadas.

“Se uma multiplicação de Igrejas como aquela ocorresse novamente hoje, seria caracterizado por uma taxa de conversão de 50% (de novos crentes) e 50% de (novas igrejas) sustentadas no mínimo por três gerações de Igrejas ”, eles explicam.

O objetivo desejado é ver as pessoas perdidas encontrarem vida através de Jesus Cristo – não a uma taxa em que a população geral está crescendo (me nem mesmo está acontecendo), nem mesmo em uma taxa que pode ser respeitável, porém a uma velocidade e intensidade que não é curta da explosividade sobrenatural.

“Todos nós deveríamos pedir por nada menos que um evento de Pentencostes”.

Os pesquisadores reconhecem que muitos Cristãos amam Jesus mas não suas igrejas, mas eles crêem que você não pode amar Jesus e negligenciar sua esposa. O objetivo não é somente evangelizar mas também “congregar”.

“A Grande Comissão não é só um chamado para 'fazer discípulos', mas para 'batizar'”, eles dizem. “Em Atos e em qualquer lugar , está claro que batismo quer dizer incorporação em uma comunidade adoradora em quantidade e limites. A única maneira de saber se o número de Cristãos está aumentando em uma cidade é pelo aumento do número de igrejas”

  • Victoria Osteen e seu esposo Joel Osteen, pastor sênior da Igreja Lakewood em Houston, Te...
  • ...
  • Brasileirão 2013: tabela de classificação completa após 1ª rodada...
  • Protestos ocorrem com a aprovação do casamento gay na França....
Não Perca