The Christian Post > Cristianismo|Seg, 20 Set. 2010 17:38 PM EST

ELCA Recebe 3 Ministras Lésbicas

PorLillian Kwon | Christian Post Reporter tradutor Rodrigo L. Albuquerque

 As três ministras lésbicas foram recebidas sábado para a lista oficial da Igreja Luterana Evangélica na América (ELCA).

  • ELCA-Evangelical-Lutheran-Church-in-America
    (Foto: Lutheran Church of the Redeemer via The Christian Post)
    Bispos na Igreja Luterana Evangélica na América impões suas mãos nas três ministras lésbicas durante o Ritual de Recepção no sábado, 18 de setembro de 2010.

Anita Hill, Ruth Frost e Phyllis Zillhart, que foram ordenadas pelo menos uma década atrás, irradiaram sorrisos depois do “ritual de recepção” ser completado.

As três não são recém-chegadas à Igreja, observou o Rev. Peter Rogness, bispo do Synodo de St. Paul. Elas são corredoras de longa distância que têm sido parte do ministério por anos. Somente agora, a ELCA está abrindo as portas mais amplamente e “desenhando o círculo de boas-vindas de forma mais ampla,” disse ele diante das centenas de pessoas na Igreja Luterana do Redeemer em St. Paul, Minnesota.

Vinte anos se passaram desde que Frost e Zillhart – que têm estado juntas por 26 anos – foram ordenadas “extraordinariamente” pela Igreja Luterana St. Francis em São Francisco. A ELCA não permitiu a ordenação das parceiras homossexualismo no momento e as expulsou da congregação.

Hill, que tem relacionamento homossexual com sua parceira há 17 anos, foi ordenada “extraordinariamente” em 2001 pela Igreja Luterana Reformada St. Paul. Sua Igreja foi censurada pela ELCA.

A recepção das três mulheres no sábado foi tornado possível pela recente mudança da política ELCA no clero. Em agosto passado, o corpo legislativo mais alto da denominação votou para permitir pessoas que estão em “relação homossexual, monogâmica e vitalícia,” para a lista do clero.

Curta-nos no Facebook

Em um email à Bárbara Lundblad do Seminário Teológico Union em Nova York, Hill escreveu, “Nós não estamos fazendo nada de errado com você em receber a lista da ELCA. ... Então por que nossa recepção deve ser vista como manchando o ministério para todos? Você não vê a dor de não ter ... [nosso trabalho] reconhecido por todos esses anos?”

Lundblad, que é também uma parceira lésbica, pagou tributo para aqueles que estão entre os primeiros a “saírem” da ELCA e brigar por ordenação, incluindo Joel Workin e Jeff Johnson.

“Nós não deveríamos estar aqui sem eles,” disse ela em seu sermão.

Zombando do debate sobre como a questão da homossexualidade tem sido travada na Igreja, Lundblad observou: "Para muitos de nós ao longo desta Igreja, Anita Hill, você tem sido o nosso pastor de defesa, andando, sendo a ‘luterana lésbica' em cada lugar que você entrou de forma que às vezes as pessoas esquecem que fez outras coisas. "

Enquanto elas estavam paradas na frente da Igreja, as três ministras prometeram pregar e ensinar de acordo com as Escrituras Sagradas e dar um testemunho fiel no mundo de que o amor de Deus pode ser conhecido em tudo o que elas fazem. Elas foram recebidas como servos de Cristo pelas centenas de pessoas presentes na cerimônia e afirmaram como o clero da ELCA.

O ritual de recepção de Minnesota vem meses depois de uma cerimônia semelhante na Califórnia, onde sete ministros gays foram recebidos para a lista.

A decisão de reconhecer clérigos não celibatários homossexuais levou centenas de congregações a cortar os laços com a ELCA.

No mês passado, centenas de luteranos descontentes constituíam uma denominação separada chamada de Igreja Luterana na América do Norte. Eles argumentam que a ELCA está se afastando da autoridade e do ensino das Escrituras.

A ELCA é a maior denominação luterana no país, com 4.500.000 membros. Ela vem, entretanto, experimentando declínio contínuo e no ano passado viu a sua maior queda de sempre em membresia.

  • Victoria Osteen e seu esposo Joel Osteen, pastor sênior da Igreja Lakewood em Houston, Te...
  • ...
  • Brasileirão 2013: tabela de classificação completa após 1ª rodada...
  • Protestos ocorrem com a aprovação do casamento gay na França....
Não Perca