The Christian Post > Cristianismo|Sex, 31 Ago. 2012 16:52 PM EST

Entrevista: Autor de ‘Eu quero uma Igreja – Nova Reforma Protestante’ expõe suas frustações com a igreja evangélica (P-2)

“Quando se descobre o que é amar, se descobre o que é falar a verdade”

PorAndrea Madambashi | Repórter do The Christian Post

Muitos cristãos estão decepcionados com o sistema religioso do país, denunciando o templo-centrismo, a teologia da prosperidade, corrupção nas igrejas, excesso de emocionalismo, distorção da Palavra de Deus, entre outros.

  • Ádryan
    (Foto: Arquivo Pessoal)
    Ádryan Krysnamurt Edin da Luz, autor do livro "Eu quero uma igreja - Reforma Protestante".

Frente à uma crescente população evangélica do Brasil, existe uma preocupação grande com qual direção a igreja brasileira está se conduzindo e conduzindo os fieis. E em meio disso, alguns evangélicos expressam um clamor de dentro de seus corações por uma igreja verdadeira constituída não de alvenaria, mas de pessoas que têm como seu centro Jesus Cristo.

Veja também: Entrevista: Autor de ‘Eu quero uma IgrejaNova Reforma Protestante’ expõe suas frustações com a igreja evangélica (P-1)

Como o fruto de um esforço de se recuperar o sentido da Igreja de Cristo no Brasil, o autor Ádryan Krysnamurt Edin da Luz escreveu o “Eu quero uma Igreja – Uma Nova Reforma Protestante”. No livro, ele explica sobre o movimento “Eu quero uma Igreja” já existente, onde se propõe a união de cristãos de diferentes denominações e lugares do mundo, em nome de Cristo para a criação de uma igreja verdadeira, realizando cultos online, debates e estudos bíblicos.

Veja também: Entrevista: Autor de ‘Eu quero uma Igreja – Nova Reforma Protestante’ expõe suas frustações com a igreja evangélica (P-3)

Ádryan contou em entrevista exclusiva ao The Christian Post sobre suas frustrações na igreja evangélica brasileira, as razões que o levaram a conduzir o movimento, frutos do movimento e o que ele pensa de questões como a música gospel antropocêntricas, ou de entretenimento.

Curta-nos no Facebook

Confira a 2° parte da entrevista:

CP: Além dos debates, como o Eu quero uma igreja pretende educar os cristãos na palavra de Deus de forma mais eficiente, consistente e progressiva de maneira que eles não apenas tenham um padrão básico dela mas que eles cresçam em profundidade, e que todos possam testemunhar que eles estão no nível de “dar frutos”?

Ádryan: O projeto tem sim, debates ao vivo, cultos online, bate papos, estudos bíblicos, um Programa de Perguntas e Respostas; nos quais muitos irmãos do Brasil e do mundo têm participado demonstrando a mesma ótica e engajamento no projeto, de maneira que, o Hangout (ferramenta que utilizamos para as programações) tem sido o ponto de partida. Atualmente, após noventa dias de projeto, e o grande crescimento do mesmo, surgiu a necessidade da abertura de outras salas que em breve serão 24h ao vivo pelo Youtube; entretanto, com o cotidiano do trabalho, muitos irmãos que estão comungando da mesma visão solicitaram a abertura de núcleos nos estados e cidades respectivos, de maneira que, no Rio de Janeiro, já temos 22 irmãos em Cristo que se cadastraram através do site, para abertura de núcleo nesta comarca. Observado que, nosso objetivo nunca será a abertura de se quer um templo de alvenaria, sabendo que Deus não habita em templos feitos por mãos humanas, assim optamos por vivermos como igrejas, pois por mais que este grupo cresça avassaladoramente, ele será a Igreja de Cristo retirada pra fora, em praças, ruas, casas, centro da cidade, hospitais, presídios, orfanatos, asilos, levando o evangelho, e cumprindo a verdadeira e única religião de Tiago 1:27. Nestes núcleos, a começar em breve pelo Rio de Janeiro, os cristãos farão cultos domésticos, ceia, batismos, casamentos, evangelismo e assistência social. Então os frutos virão da comunhão entre os irmãos dos núcleos.

CP: Muitos cristãos tem “maus entendimentos” quando vem para o caminho da fé, ou seja depois que aceitam Cristo. Qual é o maior deles que os cristãos tem antes e depois de virem para Cristo?

Ádryan: O maior mau entendimento antes de vir a Cristo, é ser religioso como Saulo era, registrado em Gálatas 1:12 ao 20, excedia em judaísmo mas não tinha revelação de Jesus Cristo; nesta fase muitos confundem dogmas denominacionais (Colossenses 2:20 ao 23), com a doutrina dos Apóstolos ou a sã doutrina, criando legalismos absurdos e descontextualizados. Posteriormente, quando encontram a Cristo, o maior mau é a acomodação, de maneira que não falam a verdade, ficam intimidados, e os tímidos ficarão de fora (Apocalipse 21:8); no original a palavra tímidos se refere a covardes, que por motivos políticos, interesses particulares, dinheiro, ou para não perderem amigos e família, se acovardam no sistema religioso e não pregam mais a verdade do evangelho. Precisam de pastores pra tudo, não entendem que são reis e sacerdotes, são igrejas, templos do Espírito Santo; guias espirituais são todos aqueles que estão na frente de um trabalho espiritual, como numa família, o líder daquele lar é um guia espiritual, ou numa reunião doméstica onde o líder é o guia e pastor daquele culto. E, principalmente dentro desta acomodação, está a apostasia da verdadeira religião de Tiago 1:27; Pois, o Eu quero uma Igreja tem como plataforma 1ª Coríntios 13, Romanos 14 que em síntese pregamos: amor prega-se e caridade vive-se!

CP: Quais foram os seus maiores erros ou acertos no seu caminho da fé que servirão de ajuda a outros cristãos?

Ádryan: Na vida temos erros e acertos, pois somos falhos; entretanto precisamos aprender com os erros, para acertar ali na frente. Posso citar que considero um grande erro ter ficado dentro do sistema religioso por tanto tempo, onde eu era templo-cêntrico, e como a grande maioria, disputava pontos de credo, era legalista, desfilava roupas novas nos congressos eclesiásticos, era ovacionado após vaticinar belos ensinamentos recheados de 'massagens de ego'; aceitava ser chamado de ladrão ao não dar o dízimo, até entender Malaquias 3, todo o capítulo, e saber que quem desviava as doações eram os sacerdotes, e que os dízimos eram mantimentos de tudo que a terra produzia, como hoje, que pervertem o direito da viúva e do órfão, ou seja, dos pobres; tinha medo do devorador, até entender que nada tem a ver com o diabo e sim com a maldição, que era a seca na terra (Malaquias 3:9), pois os sacerdotes desviavam os recursos, e Deus amaldiçoava com ausência de chuva, portanto o devorador era tudo que destruía a plantação; eu também não entendia que 2 Coríntios 8 e 9 se refere a coleta aos pobres, novamente repito e enfatizo: pobres. E era como Saulo, perseguia outros irmãos por não terem o mesmo rótulo que eu tinha, assim como a maioria diz: só minha igreja está certa, aqui está mais correto, aqui há salvação! E praticamente todas dizem isso, e então qual está certa? Como vão morar no mesmo céu assim? Por isso Deus fez um download no meu coração do clamor: Eu quero uma Igreja (João 17); até que, mesmo eu sendo um cristão, encontrei a Cristo verdadeiramente e tive meu maior acerto, quando Ele me mostrou o amor, pois Ele é o amor, e por esta razão, é também o assunto principal da Bíblia Sagrada; entendi então, que ele é o verdadeiro templo, o seu corpo é o templo, edificado em três dias, e compreendi que a única religião verdadeira é Tiago 1:27, foi neste momento que, passei a ser igreja pura em essência (1ª Coríntios 3:16).

O irmão Alexandre Costa de Porto Alegre, que está na direção deste trabalho juntamente comigo, esteve em Curitiba para me conhecer pessoalmente, e como Igreja de Cristo saímos pelas ruas, centro da cidade, filmando, ajudando famílias, evangelizando, pregando a Cristo e não religião ou denominação. Como é bom sermos livres em Cristo. Sermos cristocêntricos. Você percebe Deus olhando do céu, sorrindo e dizendo: agora sim meu filho, você entendeu o que ser igreja! E este, meu maior acerto, se estenderá, por todos os irmãos que estão se unindo conosco para que em todos os núcleos a serem inaugurados mundo afora, seja hábito a ajuda aos pobres, o sair para fora, 'ekklésia'; pregar o verdadeiro evangelho do amor. Nada de dogmas denominacionais de ter que esperar para ser batizado. Ser Igreja de Cristo (Atos 2:41 ao 47) é, sair pelas ruas, praças, casas, e quando disserem: O que me impede que eu seja batizado? Imediatamente será batizado (Atos 8:36 e 37). Faremos trabalhos sociais, dando alimento natural e espiritual. Vamos nos visitar e se ajudar. Atenção primordial aos pobres. Glória Deus porque milhões de pessoas simultaneamente estão se despertando e se unirão conosco. Eu creio.

  • Victoria Osteen e seu esposo Joel Osteen, pastor sênior da Igreja Lakewood em Houston, Te...
  • ...
  • Brasileirão 2013: tabela de classificação completa após 1ª rodada...
  • Protestos ocorrem com a aprovação do casamento gay na França....
Não Perca