The Christian Post > Mundo|Sab, 5 Jan. 2013 11:38 AM EST

'Estou indo para o céu,` disse vítima do estupro coletivo à família

PorAnugrah Kumar | Repórter do The Christian Post tradutor Amanda Gigliotti

O pai de luto de uma mulher de 23 anos de idade, que morreu na semana passada depois de ser brutalmente estuprada e agredida em um ônibus em movimento na capital nacional da Índia, disse que ela fez um gesto de que estava indo para o céu, em sua última conversa com ela no hospital no Natal.

  • estupro coletiva
    (Foto: Reuters)
    Caixão da vítima de estupro na Índia é carregado para o aeroporto de Cingapura.

"Ela fez um gesto com os dedos de que ela estava indo para o céu," a BBC citou o pai, de religião hindu e cujo nome está sendo retido, dizendo na quarta-feira, o dia anterior à polícia ser formalmente esperada para acusar cinco dos seis suspeitos, com idade entre 18 e 35 anos, de estupro e assassinato.

Em meio a pedidos para a pena de morte para todos os acusados, o sexto acusado afirmou que ele é juvenil e a polícia está realizando testes para determinar a sua idade real.

Os registros da polícia dizem que o suspeito menor de idade estuprou a estudante de fisioterapia de 23 anos de idade duas vezes, depois que ela foi atingida com barras de ferro e caiu inconsciente. Eu extraí seu intestino com as mãos nuas e sugeri que ela fosse jogada fora do veículo em movimento desprovida de suas roupas, segundo o jornal Hindustan Times.

A lei prevê uma pena máxima de três anos em uma casa correcional para jovens.

"O jovem deve ser punido primeiro ... ele foi o único que atraiu a minha filha para o ônibus e a torturou sem piedade. Ele deveria ser enforcado como os outros cinco acusados," disse o pai da vítima ao Economic Times.

Curta-nos no Facebook

Em 19 de dezembro, três dias após o incidente hediondo, a vítima, que é conhecida por diversos pseudônimos, incluindo Nirbhaya (destemida) e Damini (depois de um filme de língua hindi sobre um caso de estupro), havia dito a sua mãe, "eu quero viver."

Os médicos descreveram-na como "psicologicamente composta e otimista sobre o futuro." Em 26 de dezembro, ela foi levada de um hospital em Nova Déli para Hospital Mount Elizabeth, em Singapura, onde morreu em 29 de dezembro.
"Um dia [no hospital], ela segurou a mãe e sussurrou, ‘Mamãe, eu sinto muito, sinto muito", disse o pai.

A vítima, que estava entre os melhores alunos de sua classe, ganhava bem e queria retribuir o pai, que trabalha como carregador no aeroporto internacional de Nova Déli e vendeu sua terra ancestral para financiar seus estudos.

"Lembro-me perguntar-lhe uma vez, quem são seus amigos?" disse seu pai à BBC. "E ela respondeu:" Papai, só meus livros são meus amigos."

A mulher foi nascida e criada no sudoeste de Déli. Seus pais emigraram de uma pequena vila nas proximidades do estado de Uttar Pradesh, em 1983. Seu pai disse que queria construir um hospital em sua aldeia natal. Ela sempre encontrou uma maneira de conseguir o que queria. "Se ela colocasse em sua mente que ela queria ter um doce, mesmo o lojista tinha que ceder", disse eu.

"Ela estudava dia e noite. Nós nem sequer sabíamos quando ela dormia e acordava", seu irmão foi citado como dizendo. "Ela não tinha medo de ninguém. Nós nunca poderíamos imaginar que tal destino lhe sucederia. Ela nunca deve ter imaginado."

O trágico incidente ocorreu na noite de 16 de dezembro, quando a mulher e seu amigo embarcou em um ônibus privado - sendo conduzido por joyriders - depois de assistir a um filme em Déli do Sul. O jovem os teria convidado, dizendo que o ônibus estava indo onde queriam ir.

Os seis homens dentro do ônibus começaram assediar a mulher. Quando seu amigo interveio, bateram-lhe na cabeça com uma barra de ferro várias vezes até que ele ficasse inconsciente. Quando a mulher tentou resgatá-lo, eles bateram-na com a mesma barra. Eles se revezaram estuprando-a e agredindo-a. Segundo relatos, os ferimentos indicam que um objeto contundente, possivelmente um macado de roda enferrujado, pode ter sido usado para a penetração.

O acusado então jogou os dois a partir do ônibus em movimento, e tentou atropelar a vítima. Seu amigo, que recuperou sua consciência no momento, arrastou-a para um canto para salvá-la.

Os amigos da vítima disseram à Agence France-Presse que ela estava noiva do amigo que a acompanhava. "Eles fizeram todos os preparativos do casamento e tinham planejado uma festa de casamento em Nova Déli," amiga e vizinha Meena Rai foi citada como dizendo. A cerimônia aconteceria em fevereiro.

O incidente causou indignação em toda a Índia, onde milhares de cidadãos exigem leis duras de estupro e melhor proteção para as mulheres.

Um total de 635 estupros foram relatados à polícia na cidade, entre janeiro e novembro de 2012, de acordo com a Press Trust of India. Dos 754 suspeitos presos, apenas um até agora foi condenado.

"Esses crimes não são contra o corpo de uma mulher, mas contra a sua alma", o Chefe de Justiça da Índia Altamas Kabir, disse na quarta-feira.

  • ...
  • Brasileirão 2013: tabela de classificação completa após 1ª rodada...
  • Protestos ocorrem com a aprovação do casamento gay na França....
  • Wanderlei Silva no TUF Brasil...
Não Perca