The Christian Post > Mundo|Sab, 15 Mar. 2014 11:00 AM EST

Estudantes são proibidos de protestar contra aborto após distribuirem informativos durante o recreio

A escola relata que não libera a distribuição de textos em protestos

PorLuciano Portela | Repórter do The Christian Post

Mesmo com alguns estudantes liberados para protestar sobre diversos temas, um grupo de alunos disposto a se manifestar contra o aborto foi vetado por sua escola, nos Estados Unidos, depois de entregarem informativos durante a hora do lanche.

  • aborto
    (Foto: Reprodução/Twitter)
    "Nós somos abolicionistas do aborto", diz faixa de protesto do grupo pró-vida Students for Life of America.

De acordo com a administração da escola Brandford High School, em Connecticut (EUA), os alunos são autorizados apenas a exibirem sua indignação, por meio de cartazes ou camisetas como exemplo. Contudo, não podem convidar outras pessoas ou distribuir literatura, segundo Lee Panagoulias, diretor da escola.

Como repúdio, o grupo cristão Aliança em Defesa da Liberdade enviou uma carta para a escola, com a acusação de intolerância e tratamento de exclusão ao grupo de estudantes, por serem discriminados em função de sua postura pró-vida. O órgão exige uma resposta até o dia 12 de março.

Já aluna católica Sam Bailey-Loomis, presidente e fundadora da fundadora da High School Branford Para a Vida, pede por mais respeito por parte da escola e liberdade a todos os estudantes, sobretudo em relação ao "acesso igualitário de informações sobre a vida", observa.

Outro grupo que mostrou o seu apoio foi o Students for Life of America, que através da sua presidente Kristan Hawkins, solicitou que a escola seja mais solidária pela causa, e pare de usar dois pesos e duas medidas para os alunos.

O incidente na Brandford High School segue outras situações controversas de censura em escolas públicas dos Estados Unidos, sobre estudantes de grupos pró-vida que tentam orientar a respeito dos riscos do aborto.

Curta-nos no Facebook

Recentemente, um caso que chamou a atenção da mídia foi na escola Wilson High School, em Washington (noroeste dos EUA), quando um grupo de alunos também foi impedido de divulgar panfletos. Diante da proibição, os estudantes se queixaram de que ativistas gays da escola tinham maior liberdade para se manifestar do que eles.

  • Victoria Osteen e seu esposo Joel Osteen, pastor sênior da Igreja Lakewood em Houston, Te...
  • ...
  • Brasileirão 2013: tabela de classificação completa após 1ª rodada...
  • Protestos ocorrem com a aprovação do casamento gay na França....
Não Perca