The Christian Post > Mundo|Qui, 24 Jan. 2013 17:47 PM EST

Ex-funcionário de megaigreja enfrenta 20 anos de prisão por crime sexual

PorStoyan Zaimov | Repórter do The Christian Post tradutor Amanda Gigliotti

Um ex-funcionário da Igreja Victory Christian Center em Tulsa, Oklahoma, será acusado por enviar propostas lascivas e indecentes para uma menina de 14 anos de idade, depois que o juiz determinou que o homem de 23 anos não pode ser desculpado por não saber a idade real dela.

  • victory christian center
    (Foto: YouTube)
    Victory Christian Center.

O juiz distrital, William Kellough rejeitou o argumento de Israel Castillo na terça-feira de que ele não sabia que a menina não identificada era menor de idade, quando ele fez uma proposta indecente para ela, enquanto trabalhava como zelador na megaigreja de 17.000 membros.

O advogado de defesa de Castillo, Hugh Hood, argumentou que seu cliente não sabia que a vítima era uma criança e sob as leis do Estado não poderia ser acusado por um crime da qual ele não estava ciente que estava cometendo.

“Isso é extamente errado ignorar”, argumentou Hood, de acordo com a Associated Press. “Você não pode prender alguém responsável por quebrar a lei, quando ele não tem forma de saber que está quebrando a lei.”

A Divisão de Crimes Contra Crianças, que está representando a menina de 14 anos, disse contudo, que Castillo conhecia a vítima por pelo menos dois antes do incidente, e tinha se encontrado com ela no programa de jovens da Victory Christian Center. O ex-zelador da igreja se declarou não culpado as acusões e foi deixado sob fiança desde setembro, mas enfrenta até 20 anos de prisão se for considerado culpado. Sua acusação está prevista para 1° de fevereiro.

A Victory Christian Center tem estado envolvida em uma séria de escândalos sexuais no ano passado. No mês passado, outro ex-funcionário de 20 anos, Chris Denman, foi condenado a prisão de 55 anos depois que ele admitiu ter estuprado uma menina de 13 anos de idade, em uma escadaria no campus da igreja no ano passado.

Curta-nos no Facebook

Depois do ataque, outros cinco empregados, incluindo o filho e nora do pastor sênior da Victory Christian Center, Sharon Daugherty, foi acusado de demorar duas semanas para relatar o estupro à polícia depois que eles descobriram isso. Os empregados da igreja se declararam inocentes à acusação de contravenção, mas a corte se recusou a retirar as acusações contra eles e definiu suas audiências para o próximo mês.

Para ajudar a explicar suas ações durante a semana após o ataque à menina de 13 anos, a Victory Christian Center compartilhou um relato detalhado no site da Tulsa World, tentando mostrar que o seus empregados, tomaram todas as medidas que eles haviam sido treinados a tomar para relatar os crimes.

O pastor principal Daugherty pediu desculpas pelo incidente, mas os empregados se mantiveram fieis à megaigreja. Os funcionários acusados receberam funções diferentes e um supervisor na igreja depois do incidente.

  • ...
  • Brasileirão 2013: tabela de classificação completa após 1ª rodada...
  • Protestos ocorrem com a aprovação do casamento gay na França....
  • Wanderlei Silva no TUF Brasil...
Não Perca