The Christian Post > Mundo|Seg, 21 Fev. 2011 18:49 PM EST

Influência Evangélica: Levantes no Oriente Médio Violam Mandamento Bíblico

PorLillian Kwon | Christian Post Reporter tradutor Abigail Viana dos Santos

O evangélico influente John MacArthur não acredita que os levantes que estão se espalhando por todo o mundo árabe vão levar à liberdade que centenas de milhares de manifestantes estão exigindo.

"Eu só acho que o resultado de tudo isso é mais instabilidade, mais caos," disse o pastor do sul da Califórnia ao The Christian Post. "Não acho que o futuro parece ser bom."

Inspiradas pela revolução de Dezembro, na Tunísia, que levou à queda do seu ditador, as populações dos países vizinhos do Norte da África e no Oriente Médio lançaram protestos semelhantes contra o governo na esperança de conseguir mais liberdade, democracia e mais oportunidades.

Os EUA já se manifestaram, pedindo aos governos que respeitem o direito do povo de se manifestar.

Mas a partir de uma perspectiva bíblica, MacArthur afirmou que os manifestantes estão em desacordo com o mandamento bíblico de "submeter aos poderes, porque eles são ordenados por Deus."

"Eu preferiria que o governo americano, que tem uma história do Cristianismo, tivesse se levantado e dito: 'está errado, é proibido para as pessoas fazerem isso, isso é intolerável," disse ele.

Curta-nos no Facebook

"Eu não estou dizendo que Muamar Kadafi é o melhor líder, eu não estou dizendo que Mubarak é um grande líder benevolente e justo, não quando ele recebeu US $ 70 bilhões em seus próprios bolsos à custa do povo," esclareceu.

Mas, ressaltou que os crentes são ordenados a viverem uma vida pacífica, sujeitando-se a qualquer que seja que o governo.

Ele continuou: "E a razão é, qualquer forma de governo é melhor do que a anarquia. Para ter uma idéia do que está acontecendo agora - as pessoas estão morrendo, a propriedade está sendo destruída. Isso não pode acontecer. E, inevitavelmente, o que vai sair disso, vai ser menos ordem, mais caos e, talvez, o que vai sair de menos ordem e mais caos é a pior espécie de controle, mais poder dominante."

O pastor de 71 anos de idade, que foi o autor do recente Slave: The Hidden Word that Reveals the Riches of Your Salvation (Escravo: A palavra oculta que revela as riquezas da sua salvação), sustentou que não é provável que a liberdade pudesse resultar dos protestos em massa.

"Você gostaria de pensar que nada, senão a liberdade iria sair disto. Não foi isso que aconteceu no Irã."

Novamente, falando biblicamente, MacArthur disse que "a ilusão é que essas pessoas vão obter a liberdade."

"Mas o que temos que entender é que você é um escravo do pecado ou um servo de Cristo," explicou. “Nenhum pecador é livre,”... ele está apenas livre para escolher o curso de sua própria condenação, mas não pode fazer nada sobre isso.

"Esta é outra forma de escravidão. Eles vão acabar em outra forma de escravidão, eles vão acabar da mesma forma, pecaminosa, corrupta, insatisfeita, pessoas insatisfeitas levando suas mesmas ansiedades em uma direção diferente. Então esta não é uma solução para nada."

Seus comentários foram feitos pouco antes da Organização dos Direitos Humanos ter informado que pelo menos 233 manifestantes foram mortos pelas forças de segurança na Líbia. Enquanto isso, Saif al-Islã Kadhafi, filho do líder líbio, Muamar Kadafi, disse hoje cedo que se os protestos anti-governo continuarem, podem levar a uma guerra civil. Ao mesmo tempo, ele disse que se os protestos terminarem, eles poderiam começar a instituir uma série de reformas e até mesmo iniciar as discussões para a constituição, que é inexistente.

Mesmo que isso possa significar a possibilidade de maior liberdade religiosa para a pequena minoria cristã, MacArthur não vê ganhos enormes, pelo menos para a Igreja, a esse respeito.

Ele apontou para países como Japão e aqueles na Europa Ocidental que garantem a liberdade de religião, mas tem poucos Cristãos ou uma igreja morrendo. Em contraste, o Cristianismo na China, onde há inúmeros relatos de perseguição religiosa e de liberdade limitada, está explodindo com dezenas de milhões de crentes.

"Eu não acho que a liberdade religiosa é ainda um problema para o avanço da Igreja," disse MacArthur. "A democracia, a liberdade de religião ou a perseguição - se você tivesse que escolher seu veneno e acho que você poderia querer escolher a perseguição porque você tem uma Igreja mais pura.”

Em última análise, o Reino de Deus avança sem relação com o governo, afirmou. Tudo que diz respeito aos poderes que estão no local acontece "dentro dos propósitos de Deus e Deus irá governar por essas coisas e ignorar essas coisas."

Assim, desejar liberdade "não é uma justificação para este tipo de revolta popular e desobediência e de derrubar governos."

"Afinal, quem disse que a democracia é a melhor forma de governo?" disse ele. "Não importa qual a forma de governo é, a Bíblia não defende nada, mas uma teocracia. Qualquer forma de governo vai se auto destruir porque você está lidando com pessoas corruptas, pessoas pecadoras."

  • Victoria Osteen e seu esposo Joel Osteen, pastor sênior da Igreja Lakewood em Houston, Te...
  • ...
  • Brasileirão 2013: tabela de classificação completa após 1ª rodada...
  • Protestos ocorrem com a aprovação do casamento gay na França....
Não Perca