The Christian Post > Mundo|Ter, 12 Jul. 2016 16:22 PM EST

ISIS executará 180 cristãos assírios depois de fracasso nas negociações

PorStoyan Zaimov | Repórter do The Christian Post tradutor Andrea Madambashi

O grupo terrorista Estado Islâmico afirma que irá executar 180 cristãos assírios que foram sequestrados em ataques em massa este ano, depois que os negociadores não conseguiram cumprir o alto preço pedido pelos jihadistas para libertar os reféns.

cristãos assírios
(Foto: Reuters)
Assírios seguram faixas enquanto marcham em solidariedade aos assírios raptados pelos Militantes do Estado islâmico na Síria no início desta semana, em Beirute, Líbano, 28 de fevereiro de 2015.

A ARA News informou na segunda-feira que o grupo terrorista está pedindo US $ 12 milhões para a libertação dos assírios, uma quantia considerada "fora de cogitação" para a comunidade.

"As negociações, conduzidas pelo Bispo Ephrem Otnaial, chefe da Igreja do Oriente na Síria, foram suspensas devido às exigências insuportáveis do grupo terrorista", revelou Osama Edward, diretor da Rede de Direitos Humanos assírio.

"O ISIS ameaçou executar os 180 reféns se não pagarmos o resgate", continuou ele.

Um membro do Comitê de Paz Civil em Tel Temir, que preferiu permanecer anônimo, disse que "divergências internas" surgiram entre os oficiais assírios sobre como reunir o dinheiro.

Os 180 assírios são parte de um grupo de 230 pessoas sequestradas por IS em fevereiro de aldeias no vale do rio Khabur na Síria.

Curta-nos no Facebook

No início de setembro, as esperanças apareceram de que os reféns pudessem ser libertados, depois que o IS declaradamente concordou em reduzir os seus pedidos de resgate.

O arcebispo católico da Síria Jacques Behnan Hindo revelou que os negociadores conseguiram explicar às forças do IS que pedir 23 milhões de dólares para libertar 230 pessoas era uma soma impossível, e afirmou que o IS tinha decidido pedir "muito, muito menos", embora ele não compartilhou o montante exato.

"Portanto, agora, o maior obstáculo a respeito da liberação de nossos irmãos assírios já não é o dinheiro, mas a dificuldade de como organizar a fase de libertação", Hindo disse no momento.

O arcebispo católico chegou a sugerir que os ônibus fossem sendo organizados para recolher os reféns e trazê-los de volta para Hassaké.

O grupo terrorista, que tem estado perseguindo os cristãos e outras minorias religiosas em todo o Iraque e a Síria, libertou pequenos grupos de reféns sequestrados desde que Khabur, mas ainda está segurando a grande maioria das pessoas que levou cativo.

O IS tem focado especificamente nos assírios, buscando expulsá-los de suas comunidades milenares.

Na semana passada, um vídeo foi liberado mostrando as execuções de três dos reféns, o que atraiu a condenação por grupos de vigilância de perseguição, tais como A Demand for Action.

"Condenamos este último ato de barbárie nos termos mais fortes possíveis. A limpeza étnico-religiosa sistemática dos assírios/sírios/caldeus continua. Eles são impotentes. Eles são crianças. Elas são mulheres. Eles são pai e irmão de alguém", escreveu o porta-voz da A Demand for Action, Diana Yaqco.

"Nós apelamos e implaramos a comunidade internacional que intervenha imediatamente", acrescentou Yaqco. "Temos sido expulsos de nossas terras ancestrais. Temos sido mortos e crucificados. A comunidade internacional deve agir agora para salvar vidas de outros sequestrados."

  • Victoria Osteen e seu esposo Joel Osteen, pastor sênior da Igreja Lakewood em Houston, Te...
  • ...
  • Brasileirão 2013: tabela de classificação completa após 1ª rodada...
  • Protestos ocorrem com a aprovação do casamento gay na França....
Não Perca