The Christian Post > Cristianismo|Sab, 30 Ago. 2014 08:41 AM EST

Jesus no corredor da morte é tema de campanha idealizada por líder de órgão cristão

David Miller ficou conhecido pela polêmica do Jesus tatuado em outubro de 2013.

PorHamlet Kim | Repórter do The Christian Post tradutor Alexandre Correia

O homem por trás do polêmico movimento "Tatuagem de Jesus" (Jesus Tattoo, em tradução livre) vai lançar uma nova campanha "Jesus no corredor da morte", nessa quarta-feira (27), para divulgar a mensagem de que enquanto estava na Terra, Deus era o "pior criminoso de todos".

  • Jesus no corredor da morte
    (Foto: Divulgação)
    Jesus no corredor da morte é tema de campanha idealizada por líder de órgão cristão

David L. Miller, da organização Little Pencil, é conhecido por suas campanhas de marketing provocantes para promover o Evangelho. No ano passado, ele colocou 59 outdoors em toda a cidade de Lubbock, Texas (EUA), representando a imagem de Jesus Cristo coberto de tatuagens. Mas desta vez, ele está optando por anúncios de vídeo digitais que serão lançados nas principais cidades em todo os EUA.

"Quando as pessoas pensam sobre Jesus, elas não pensam nele como quem está no corredor da morte, mas se você pensar sobre o que ele fez quando ele estava na terra, foi realmente a experiência que ele teve", disse Miller à filial local da NBC.

Ele continuou: "Nós nos comunicamos de maneira muito direta que Cristo se tornou o pior criminoso da história a partir do momento em que ele assumiu todos nossos erros como seus. A segunda mensagem é que somos todos igualmente indignos da Graça de Deus”.

Parte do vídeo mostra Jesus em um macacão laranja típico das prisões americanas, como Ele é espancado no chão. Outra cena mostra a crucificação, onde Ele está morrendo, ao mesmo tempo em que outros detentos na prisão estão sendo libertados.

Miller diz que o financiamento para os anúncios de vídeo foi criado por meio de vendas de mercadorias da campanha anterior, acrescentando que ele não está a fim de fazer um lucro.

Curta-nos no Facebook

"As empresas gastam uma quantidade enorme de dinheiro de marketing qualquer que seja seu produto é, e não há nada de errado com isso", disse Miller. "Nós acreditamos que, neste caso, temos algo muito melhor, um que é eterno, de mudança de vida, e por isso é certamente digno de tudo o que investirmos nele".

No ano passado, a campanha de Miller rendeu polêmica depois que ele entrou com uma ação no tribunal federal, acusando o maior distrito escolar de Lubbock de alegadamente violar o seu direito de liberdade de expressão depois que eles se recusaram a mostrar o seu anúncio mostrando um Jesus tatuado em um telão durante os jogos de futebol da escola.

As tatuagens mostravam as palavras "viciado" e "deprimido", entre outras descrições negativas no peito e braços de Jesus, mas a mensagem por trás delas era que o amor de Jesus pode mudar as pessoas, apesar de seus rótulos.

Na época, o distrito escolar disse que negou o pedido de Miller por conta de suas próprias políticas e práticas, que foram proibidas de permitir propagandas religiosas com o uso de propriedade do governo, com base na cláusula do estabelecimento.

Um juiz federal finalmente se alinhou com o distrito escolar, no último mês de maio, dizendo que o distrito tinha razão para rejeitar uma empresa cristã.

A organização Little Pencil de Miller foi fundada cerca de um ano atrás. Seu nome vem de uma frase de Madre Teresa: "Eu sou um pequeno lápis na mão de um Deus que escreve, e envia uma carta de amor para o mundo”.

  • Victoria Osteen e seu esposo Joel Osteen, pastor sênior da Igreja Lakewood em Houston, Te...
  • ...
  • Brasileirão 2013: tabela de classificação completa após 1ª rodada...
  • Protestos ocorrem com a aprovação do casamento gay na França....
Não Perca