The Christian Post > Mundo|Qui, 21 Out. 2010 20:07 PM EST

Líder Anglicano: Ordenação Gay nos EUA, Retrocesso

PorLillian Kwon | Christian Post Reporter tradutor Amanda Gigliotti

O líder espiritual da Comunhão Anglicana mundial expressou, recentemente, seu temor que possa ter mais divisões na frágil Igreja.

“Sinto que podemos ainda ter que enfrertar a uma possibilidade de divisões mais profundas,” disse o arcebispo de Canterbury, Dr. Rowan Williams o jornal The Hindu em uma entrevista divulgada na quarta-feira.

O comentário foi feito depois de ter assinalado as complicações que permeiam a última ordenação de uma lésbica não celibatária em Los Angeles.

Ainda que os líderes anglicanos estivessem fazendo progressos no diálogo nos últimos anos, disse “O como foi feito, com a ordenação de uma bispo lésbica, acredito, nos fez retroceder.”

“Neste momento, não estou seguro de como devemos enfocar as próximas reuniões dos primazes, mas lamentavelmente alguns dos avanços que acredito que se tem feito, não se mantiveram estáveis,” disse a publicação da Índia.

Em maio, a Diocese Episcopal de Los Angeles consagrou a Rev. Mary Glasspool apesar dos mandamentos da Comunhão Anglicana de praticar a “graça moderada” na ordenação de homossexuais não celibatários.

Curta-nos no Facebook

Glasspool, que tem estado em uma relação com sua parceira lésbica desde 1988, foi a segunda bispo abertamente homossexual a ser ordenada pela Igreja Episcopal. A primeira foi V. Gene Robinson de Nova Hampshire em 2003, cuja consagração ampliou divisões na Comunhão.

Alguns adotaram medidas disciplinárias contra o corpo dos EUA por aderir-se à moratória sobre a ordenação de bispos que vivem em relações do mesmo sexo. Líderes da Igreja Episcopal foram suspensos de participar nos diálogos ecumênicos e despojados de todo o poder de decisão na Comissão Inter-Anglicana Permanente da Unidade, Fé e Constituição – um corpo que analisa os temas de doutrina e autoridade.

Sete anos no seu papel de líder como arcebispo de Canterbury, Williams conseguiu guardar o organismo de 77 milhões de membros da divisão. Reconheceu que a comunhão não se fraturou sem possibilidade de reparação.

Apesar dos desafios, Williams acredita que a cooperação entre os líderes anglicanos tem se fortalecido.

“Enquanto as instituições da Comunhão brigam, em muitos aspectos a vida em comum da Comunhão, a vida de intercâmbio e cooperação entre as diferentes partes de nossa família anglicana, é bastante forte e talvez cada vez mais forte,” disse. “É um paradoxo.

“Estamos trabalhando mais estreitamente nas questões relativas ao desenvolvimento do que havíamos antes. Contamos com a aparição de uma rede de saúde Anglicana em todo o mundo, que reúne a diversas instituições de saúde. Também temos tido bastante êxito em um programa sobre normas e critérios para a educação teológica na Comunhão. Por tanto, um panorama muito desigual.”

A próxima reunião de primazes (os líderes das Igrejas nacionais) da Comunhão Anglicana está programada para o dia 25 de janeiro de 2011. Espera-se que os bispos discutam o caminho a seguir e considerem a idéia de uma organização de vários níveis. Williams propôs um sistema de dois níveis em 2006, como uma forma de preservar a unidade do corpo. Ele disse ao The Hindu que ele não gosta da idéia, mas considera que é preferível um “completo caos e fragmentação.”

“Trata-se de aceitar o que poderíamos fazer juntos,” disse.

Williams se encontra atualmente em uma visita de 16 dias para a Índia para as celebrações o aniversário de 40 anos da Igreja do Norte da Índia. Além de cumprir com os líderes cristãos, também está de visita com os líderes de outras comunidades religiosas.

  • Victoria Osteen e seu esposo Joel Osteen, pastor sênior da Igreja Lakewood em Houston, Te...
  • ...
  • Brasileirão 2013: tabela de classificação completa após 1ª rodada...
  • Protestos ocorrem com a aprovação do casamento gay na França....
Não Perca