The Christian Post > Mundo|Sab, 18 Set. 2010 19:31 PM EST

Líder Anglicano, Papa Enfatiza Desejo de Estreitar Laços

PorLillian Kwon | Christian Post Reporter tradutor Amanda Gigliotti

O Arcebispo de Canterbury, Rowan Williams, deu boas vindas ao Papa Bento XVI, na sexta-feira, no Lambeth Palace. Lá eles discutiram a unidade e os Cristãos que enfrentam desafios na cultura.

  • pope-williams
    (Foto: AP Images / Stefan Wermuth)
    Arcebispo de Canterbury Rowan Williams, direita, caminha com o Papa Bento XVI no Palácio de Lambeth em London, sexta-feira, 17 de setembro de 2010.

Foi a primeira vez na história que um pontífice visitou a residência oficial do arcebispo Canterbury, em Londres.

Os líderes da Igreja Anglicana e Católica Romana compartilharam o desejo de construir relações mais estreitas.

"Como bispos, nós somos servos da unidade do povo de Cristo, um Corpo de Cristo," disse Williams em seu discurso de sexta-feira. "E, como nós fazemos reunião de bispos das comunidades eclesiais separadas, todos nós devemos sentir que cada um de nossos próprios ministérios são diminuídos por causa de nossa divisão, uma comunhão muito real, mas imperfeita."

A histórica visita do papa vem depois que um certo número de anglicanos deixou a Comunhão Anglicana e juntou-se à Igreja Católica. No ano passado, o Papa Bento XVI convidou os anglicanos, que estavam descontentes com o rumo liberal do organismo mundial, a entrarem em plena comunhão com a Igreja Católica, preservando suas tradições anglicanas - incluindo os padres casados. O papa emitiu uma constituição apostólica, fornecendo orientações do Vaticano para anglicanos descontentes entrarem em seu rebanho.

Williams, na época, disse não perceber o movimento do Vaticano como "um comentário sobre problemas anglicanos" e disse não ter impacto negativo sobre suas relações.

Curta-nos no Facebook

Os dois líderes da Igreja disseram que continuam empenhados a prosseguirem o diálogo ecumênico.

Eles reafirmaram esse compromisso, na sexta-feira, enquanto enviavam um grupo de bispos católicos e anglicanos em Lambeth Palace.

"Não é minha intenção hoje falar das dificuldades que o caminho ecumênico encontrou e continua a encontrar. Essas dificuldades são bem conhecidas de todos aqui," disse o Papa em seu discurso a Williams. "Pelo contrário, gostaria de acompanhá-lo em agradecimento pela profunda amizade que cresceu entre nós e pelo notável progresso que tem sido feito em muitas áreas do diálogo durante os quarenta anos."

Ele citou John Henry Newman, um sacerdote anglicano do século 19 que se converteu ao catolicismo romano, como um exemplo de quem pode aprender as virtudes que exige o ecumenismo.

"Por um lado, ele mudou para seguir a sua consciência, mesmo com grande custo pessoal, e por outro lado, o calor de sua amizade contínua com seus antigos colegas, o levou a buscar com eles, em um espírito verdadeiramente eirenical, a questões sobre as quais eles diferem, impulsionado por um profundo anseio pela unidade na fé," disse o Papa. "Sua Graça, nesse mesmo espírito de amizade, vamos renovar nossa determinação em perseguir o objetivo da unidade na fé, esperança e amor, em conformidade com a vontade do nosso único Senhor e Salvador Jesus Cristo."

Enquanto as diferenças sobre a governança da Igreja e da teologia permanecem como pontos de diálogo entre os dois órgãos, Williams anotou: "Talvez, não devemos ultrapassar rapidamente os obstáculos à plena comunhão, restaurada."

Ele adicionou rapidamente, no entanto, que "nenhum obstáculo se interpõe no caminho de nossa busca, como uma questão de alegre obediência ao Senhor. Há mais maneiras de se construir a santidade um do outro pela oração e celebração pública em conjunto, mais amizade, e crescimento juntos, tanto no trabalho desafiador de serviço para todos aqueles que Cristo ama e a missão que Deus fez."

Eles sublinharam a importância da cooperação ecumênica no sentido de perceber uma hostilidade crescente em relação ao Cristianismo.

Williams apontou para a existência de várias tendências da cultura que "procuram apresentar a fé cristã, tanto como um obstáculo à liberdade humana como um escândalo para o intelecto humano." O Papa, entretanto, observou que "a cultura ao redor está crescendo cada vez mais distante das suas raízes cristãs, apesar de uma fome profunda e generalizada pelo alimento espiritual."

"Nossa presença em conjunto, como bispos ingleses aqui hoje é um sinal da forma em que, neste país, vemos a nossa tarefa como uma e indivisível," disse o líder espiritual anglicano. "Devemos ser defensores eficazes ou proclamadores de nossa fé quando podemos mostrar o que é uma vida santa, uma vida em que a alegria de Deus está presente de forma transparente. E isto significa que o nosso ministério em conjunto, enquanto bispos atravessam as barreiras ainda sobreviventes de nossas confissões, não é apenas uma pesquisa para saber como melhor agir em conjunto na arena pública, é uma questão em conjunto pela santidade e a transparência de Deus, é uma busca por maneiras em que possamos ajudar-nos uns aos outros a crescer na vida do Espírito Santo."

A visita do Papa ao Reino Unido, começou na quinta-feira. É a primeira visita à Grã-Bretanha por um pontífice desde João Paulo II em 1982.

  • Victoria Osteen e seu esposo Joel Osteen, pastor sênior da Igreja Lakewood em Houston, Te...
  • ...
  • Brasileirão 2013: tabela de classificação completa após 1ª rodada...
  • Protestos ocorrem com a aprovação do casamento gay na França....
Não Perca