The Christian Post > Mundo|Ter, 1 Fev. 2011 13:09 PM EST

Líder da ELCA Ora por um Futuro Justo no Egito Enquanto ‘Marcha dos Milhões’ Evolui

PorNathan Black | Repórter do Christian Post tradutor Rodrigo L. Albuquerque

Em sua maior demonstração ainda contra o regime do Presidente Hosni Mubarak, prostestantes encheram a Praça Tahir, no Cairo, terça-feira, pelo qual está sendo apelidado de “marcha dos milhões.”

Espera-se que a marcha seja pacífica enquanto os protestantes continuam demandando a renúncia de Murabak depois de aproximadamente 30 anos em poder.

“O objetivo é derrubar o regime,” disse Abdel Rahman Fathi, 25, ao The Associated Press. “Todos os dias nós tentamos aumentar o número.”

Esta segunda semana de demonstrações contra o que tem sido descrito como um regime repressivo e corrupto. Cidadãos estão frustrados com a falta de oportunidades econômicas e violação de liberdade básica sob a administração de Mubarak.

Enquanto protestantes estão determinados a continuar suas manifestações até Murabak ser destituído, alguns tem alertado sobre a perseguição aumentada sendo ele expulso do poder.

O ex-embaixador da ONU, John Bolton disse à minoria cristã copta do Egito que pode estar ameaçada. Ele apontou para o Musilm Brotherhood ilegal, que acredita que o Islã é o caminho para a vida e não somente uma religião, que pode chegar ao poder, apesar de algumas dúvidas expressadas.

Curta-nos no Facebook

Cristãos ao redor do mundo têm estado orando pelo país norte africano com o último chamado vindo do presidente bispo da Igreja Luterana Evangélica na América.

“Enquanto os dias de agitação civil continua a evoluir no Egito, eu apelo aos membros de nossa Igreja para orarem por um fim da violência e por uma solução pacífica que irá beneficiar todas as pessoas vivendo no Egito,” disse o Rev. Mark S. Hanson na segunda-feira.

“Vamos também orar e trabalhar para o florescimento de todas as comunidades e e um futuro justo para aqueles que vivem no Egito.”

O bispo presidente apontou para sua própria declaração de paz da denominação, citando: “Nós esperamos que os governos sejam responsáveis perante a lei e as pessoas, proporcionem a participação de todos e espaço para a oposição leal, proteja os direitos da minoria e dos indivíduos, e ofereça processos para conflitos a serem resolvidos sem guerra.”

Hanson relatou que há atualmente 10 missionários da ELCA ainda no Cairo, mas em uma localização segura. A Igreja está trabalhando com o Departamento de Estado dos EUA e explorando outras opções para ajudar os missionários a deixarem o país temporariamente durante essas semanas de agitação.

De acordo com o Alto Comissariado da ONU para os Direitos Humanos Navi Pillay, até 300 pessoas tem sido mortas durante os protestos. Para a marcha massiva de terça-feira, o exército prometeu na noite anterior que não iria pôr fogo nos protestantes. Organizadores estão antecipando a participação de milhões de pessoas.

  • ...
  • Brasileirão 2013: tabela de classificação completa após 1ª rodada...
  • Protestos ocorrem com a aprovação do casamento gay na França....
  • Wanderlei Silva no TUF Brasil...
Não Perca