The Christian Post > Cristianismo|Seg, 3 Fev. 2014 12:48 PM EST

Líder da igreja condena propagação do Evangelho da Prosperidade na África do Sul

PorHamlet Kim | Repórter do The Christian Post tradutor Amanda Gigliotti

Enquanto a África do Sul pode ser chamada de uma "nação igrejada" demograficamente, o Evangelho da Prosperidade, ou um "Cristianismo pós-bíblico e paralelo" está se espalhando por todo o país, alerta o reitor de uma igreja anglicana evangélica reformada que tem ministrado em Durban City por 17 anos.

Uma nação igrejada não é a mesma coisa que uma nação "evangelizada", escreve Grant Retief, o reitor da Christ Church Umhlanga localizada ao redor de Durbin, em um post de blog. Oitenta por cento da África do Sul é cristã, de acordo com o censo de 2001.

Quando pessoas de igrejas maiores e bem conhecidas vão para a sua igreja por algum tempo, o reitor diz: "eles nos dizem que ficam surpresos ao ouvir regularmente na pregação e na liturgia que são pecadores."

Isso é por causa do fenômeno do Evangelho da Prosperidade, que Retief chama de "Cristianismo pós-bíblico e paralelo". "Quando você parar de olhar para dentro dessas igrejas, você ouve coisas e atividades “tipo” de cristão. Os sermões não são baseados em teologia bíblica, mas em um verso ocasional que pula em direção ao ponto pré-escolhido pelo pregador," ele lamenta.

Os significados de termos bíblicos deles são vagamente assumidos, ou não são informados pela teologia, mas a psicologia, acrescenta. Por exemplo, "pecado" pode ser descrito como a incapacidade de atingir seus objetivos, não como rebelião contra um Deus Todo-Poderoso.

"Tudo isso produz pessoas legais, em vez de pessoas piedosas," Retief argumenta.

Curta-nos no Facebook

Claro, as igrejas que pregam o Evangelho da Prosperidade variam consideravelmente ao longo do espectro teológico e sócio- econômico, diz ele. Mas as várias versões deste tipo de Cristianismo estão se espalhando por toda a África do Sul. "Superficialmente, parecem vivas, porque isso é vibrante e crescente ... O Evangelho é assumido, a piedade pessoal é opcional e educação teológica é tida como suspeita."

Nos subúrbios de classe média, as pessoas geralmente são suspeitas de autoridade, estabelecimento e tradição, ressalta. Educação teológica formal é vista como desnecessária, até mesmo prejudicial para alguns.

Portanto, há uma “churchscape” dominada por igrejas carismáticas independentes, Retief escreve. "Seus líderes são excepcionalmente talentosos, invariavelmente, jovens e poderosos motivadores e previsivelmente modernos. Mas eu não posso pensar em uma que eu saiba que tenha tido qualquer treinamento teológico formal."

O reitor acrescenta: "É minha convicção que o maior perigo representado por essas igrejas que pregam o Evangelho da Prosperidade não é somente que eles têm a doutrina da obra do Espírito Santo errado, o que eles quase sempre fazem; mas também que eles têm a doutrina da obra do Filho de errada".

Ao que ele conclui o post do blog, Retief oferece uma solução. É encontrado no Novo Testamento, diz ele. "Não são macro-organizações ou denominações evangélicas reformadas que vão ajudar. São igrejas locais que preguem o Evangelho."

Orações são necessárias para que Deus levante mais igrejas "onde o Evangelho claro do Senhor Jesus Cristo permanece na frente e no centro - aconteça o que acontecer!"

  • Victoria Osteen e seu esposo Joel Osteen, pastor sênior da Igreja Lakewood em Houston, Te...
  • ...
  • Brasileirão 2013: tabela de classificação completa após 1ª rodada...
  • Protestos ocorrem com a aprovação do casamento gay na França....
Não Perca