The Christian Post > Mundo|Sab, 7 Dez. 2013 10:43 AM EST

Lideranças cristãs lamentam a morte de Mandela

Apesar de ser associado ao metodismo, muitos ensinamentos do ex-presidente africano são relacionados à Bíblia e à Jesus

PorMaria Carolina Caiafa | Correspondente do The Christian Post

O líder sul-africano Nelson Mandela, que morreu na quinta-feira (5), aos 95 anos, ficou conhecido por acabar com o regime discriminatório apartheid, que segregava negros e brancos, em seu país, implantando a democracia. Ele demonstrou muita fé e amor cristão em seus pensamentos e suas atitudes.

  • Nelson Mandela
    (Foto: Reuters/Michael Kooren)
    O ex-presidente sul-africano Nelson Mandela acena para uma multidão durante cerimônia da Copa do Mundo de futebol, em Johanesburgo, na África do Sul, em julho de 2010.

Uma de suas célebres frases “Antes de mudar eu mesmo, eu não poderia mudar os outros”, apresenta a tradicional ideia religiosa do renascimento interno.

O ex-presidente da África do Sul era associado ao metodismo, segundo relatos da mídia. Ele teria sido membro da Associação Cristã de Estudantes [Students Christian Association, em inglês] e teria dado aulas bíblicas aos domingos. Sua fé também o teria afastado do comunismo, no contexto pós-Segunda Guerra Mundial.

Em sua autobiografia The Long Walk to Freedom [Um Longo Caminho para a Liberdade, em português], ele falava da importância da religião para as sociedades, por exemplo, através de trabalhos missionários.

Ele sempre trabalhou pelo perdão, inclusive após ficar preso por quase 30 anos.

O secretário-geral da Aliança Evangélica Mundial Geoff Tunnicliffe homenageou Mandela, dizendo que o mundo perdeu um grande líder. “Nelson Mandela foi um modelo de coragem, visão e sacrifício pessoal. Hoje - mais do que nunca - precisamos deste tipo de liderança. Que a memória de Nelson Mandela inspire uma nova geração de líderes como ele”, afirmou.

Curta-nos no Facebook

O mesmo fez o secretário-geral da Associação dos Evangélicos na África, Rev. Aiah Foday-Khabenje, utilizando o carinhoso nome Madiba. “A vida de Madiba é mais uma prova e um lembrete sobre a origem, a natureza e a semelhança da espécie humana, criada à imagem de Deus, com capacidade de refletir alguns dos atributos dEle”.

Papa Francisco lamentou também o falecimento e destacou “o compromisso constante mostrado por Nelson Mandela para promover a dignidade humana de todos os cidadãos da nação e de construir uma nova África do Sul baseada nos firmes cimentos da não violência, da reconciliação e da verdade. Eu oro para que o último exemplo do presidente inspire gerações de sul-africanos para que coloquem a Justiça e o bem comum na frente de suas aspirações políticas”.

Nelson Mandela morreu em sua casa em Johanesburgo, na África do Sul, depois de uma prolongada infecção pulmonar.

“Nosso povo perdeu um pai. Embora soubéssemos que esse dia chegaria, nada pode diminuir a nossa sensação de uma perda profunda e duradoura. Sua luta incansável pela liberdade ganhou o respeito do mundo”, disse o atual mandatário do país Jacob Zuma.

O enterro está previsto para 15 de dezembro em sua aldeia natal: Qunu. Antes, haverá uma homenagem oficial no dia 10 no estádio Soccer City em Joanesburgo.

  • Victoria Osteen e seu esposo Joel Osteen, pastor sênior da Igreja Lakewood em Houston, Te...
  • ...
  • Brasileirão 2013: tabela de classificação completa após 1ª rodada...
  • Protestos ocorrem com a aprovação do casamento gay na França....
Não Perca