The Christian Post > Política|Qua, 3 Abr. 2013 09:41 AM EST

Magno Malta defende Feliciano: ‘Comissões precisam de pessoas que pensam diferentes’, diz senador

Para o senador as declarações de Feliciano foram reproduzidas na internet com outros sentidos.

PorAdoniran Peres | Correspondente do The Christian Post

Em pronunciamento no plenário na semana passada, o senador Magno Malta (PR-ES) defendeu a permanência do deputado Marco Feliciano na presidência da Comissão de Direitos Humanos (CDHM). Para Malta, a decisão do deputado Feliciano de continuar como presidente deve ser respeitada, alegando que o pastor teve uma eleição legítima e as diferenças de pensamentos nas discussões propostas, ajuda na pluralidade da democracia.

  • Magno Malta
    (Foto: Site Magno Malta via The Christian Post)
    Magno Malta responde ministro de presidência

“Comissões precisam de pessoas que pensam diferentes, pois é importante para a democracia. Ora, o deputado Marco Feliciano pode e até deve pensar diferente do deputado Jean Wyllys, mas eles são obrigados e devedores de respeito um ao outro”, disse.

O senador Malta, que já presidiu a Comissão de Direitos Humanos do Senado, esclarece ainda que temas polêmicos como casamentos gay, em que se declara também contra, precisa ser discutida entre pessoas com opiniões diferentes, pois é importante para que seja exercida a democracia. Magno Malta contou que mesmo tendo divergências com outros parlamentares, como com a senadora Marta Suplicy (PT-SP), nunca impediu que tivessem um bom relacionamento em relação às propostas da comissão do Senado. “Divergências nunca foi motivo para falta de respeito”, destaca.

Em relação aos movimentos e protestos contra a permanência de Feliciano, Malta salienta que mesmo muitos sejam contra devem entender que o pastor teve uma eleição legítima e que chegou à Câmara dos Deputados com o voto de 212 mil eleitores que apostaram em suas ideias. “As pessoas devem entender que esse cidadão teve 212 mil votos de pessoas que mandaram ele para a Câmara”, destacou.

O senador analisou as declarações polêmicas de Feliciano sobre os africanos e homossexuais, que em sua avaliação não poderia interferir para impedir que o deputado presida a CDHM, já que é uma opinião de Feliciano. Malta explicou sobre o funcionamento das pautas em aprovações na CDHM e sobre o papel do presidente, que não tem a autonomia para decidir tudo sozinho.

“Marco Feliciano como presidente da CDHM não que dizer que será ele que vai aprovar. Tudo passa por debates mediados por Feliciano e depois passa para votação e vence a maioria dos votos”.

Curta-nos no Facebook

Malta avalia que as declarações polêmicas de Feliciano tiveram maior peso por serem recortadas e reproduzidas fora do contexto em que o pastor disse. “As frases foram faladas em um contexto, pinçadas e difundidas na internet com sentidos diferentes. Eu li que a Xuxa disse que Feliciano é um monstro. Digo que, não sabendo do contexto, a primeira reação nossa quando lemos uma frase como essa é que ele seja um monstro mesmo. Mas a redenção cabe a todos. Ela fez um filme que leva uma criança de 10 anos para cama. E hoje ela não faz publicidade contra abusos sexuais? Não veio a público dizer que foi abusada quando criança?”, analisou Malta.

You Tube|WAPTV Comunicação
Senador Magno Malta defende permanência de Feliciano

  • Victoria Osteen e seu esposo Joel Osteen, pastor sênior da Igreja Lakewood em Houston, Te...
  • ...
  • Brasileirão 2013: tabela de classificação completa após 1ª rodada...
  • Protestos ocorrem com a aprovação do casamento gay na França....
Não Perca