The Christian Post > Mundo|Sab, 22 Jun. 2013 11:12 AM EST

Maior organização de tratamento ao homossexual fecha as portas e pede desculpas à comunidade LGBT

PorSarah Curty | Correspondente do The Christian Post

A organização Exodus, uma das maiores organizações cristãs focada em reorientação de homossexuais, sediada na Flórida, Estados Unidos, anunciou na quarta-feira, 19, o encerramento de suas atividades após quase quarenta anos dedicados ao ministério.

  • alan chambers
    (Foto: Exodus International)
    Alan Chambers, presidente da Exodus International, faz discurso de abertura na 38º Conferência Anual de Liberdade da Exodus em Irvine, Califórnia, 19 de junho de 2013.
  • exodus
    (Foto: Divulgação)
    Exodus International
1/2

Segundo o Conselho de Administração da organização, a decisão foi tomada após um ano de muitas reuniões e orações a respeito da função da Exodus na atualidade. “Não estamos negando as maneiras que Deus usou a Exodus para afetar positivamente a milhares de pessoas, mas uma nova geração de cristãos está buscando mudanças – e querem ser escutados”, explicou um dos membros do conselho Tony Moore.

O presidente da organização Alan Chambers publicou uma carta em que pede desculpas à comunidade LGBT (lésbicas, gays, bissexuais e transexuais) pela “dor e o dano” provocado. “Numa perspectiva judeu-cristã, homossexuais, heterossexuais ou de outra maneira, somos todos filhos e filhas pródigos. Exodus é como um irmão mais velho do filho pródigo, que trata de impor sua vontade às promessas de Deus e fazer juízos sobre quem é digno de Seu reino. Deus está nos chamando a ser como o Pai – para dar boas vindas a todos, amar sem obstáculos”, disse Alan.

A partir de sua experiência pessoal, Chambers pediu desculpas por ter maltratado tantas pessoas nos 37 anos de existência da organização. Chambers confessa sentir atração por pessoas do mesmo sexo e lamentou o “trauma causado” em tantas pessoas. “Durante muito tempo omiti esta atração porque tinha medo de compartilhá-la tão facilmente e rapidamente como faço hoje. Hoje, no entanto, aceito esses sentimentos como parte da minha vida, que provavelmente sempre estará ali. Mas agora os dias de sentir vergonha passaram e agora, é aceitar [a condição] como minha esposa e minha família o fazem. Como meus amigos o fazem. Como Deus faz”, justificou.

Chambers continua sua carta de desculpas se dizendo “profundamente arrependido” por ter promovido esforços para mudar a orientação sexual de tantas pessoas. Mas, sobretudo, ele se desculpou por ter feito tantas pessoas “interpretarem que a repulsa religiosa pelos cristãos como uma repulsa de Deus. Lamento profundamente que muitos se distanciaram da fé e que alguns tenham até decidido por fim em suas vidas”, disse.

“Não posso pedir desculpas pelas minhas crenças bíblicas profundas sobres os limites que vejo nas Escrituras acerca do sexo, mas vou exercer minha crença com grande cuidado e respeito com aqueles que não a compartilham. Não posso pedir desculpas pela minha crença a respeito do casamento. Mas não tenho nenhum desejo de lutar contra os outros por suas crenças ou os direitos que buscam. Minhas crenças sobre essas coisas nunca interferirão com as ordens de Deus de amar o próximo”, conclui a carta.

Curta-nos no Facebook

Com o slogan “liberte-se da homossexualidade através do poder de Jesus”, a Exodus foi líder nos métodos de “cura gay” em todo o mundo, inclusive no Brasil. Os membros da diretoria agora irão iniciar ministérios separadamente. “Essa é uma nova estação do ministério, para uma nova geração”, disse Chambers.

  • Victoria Osteen e seu esposo Joel Osteen, pastor sênior da Igreja Lakewood em Houston, Te...
  • ...
  • Brasileirão 2013: tabela de classificação completa após 1ª rodada...
  • Protestos ocorrem com a aprovação do casamento gay na França....
Não Perca