The Christian Post > Política|Sex, 14 Jan. 2011 13:12 PM EST

Mais de 50 Religiões Pedem ‘Busca pela Alma’ na Carta ao Congresso

PorLawrence D. Jones | Repórter do Christian Post tradutor Rodrigo L. Albuquerque

Mais de 50 líderes religiosos proeminentes, incluindo os pastores de mega-igrejas TD Jakes e Joel C. Hunter, assinaram uma carta aberta aos membros do Congresso encorajando “busca pela alma” nacional e urgindo discurso civil na sequência do trágico tiroteio do Arizona.

  • faith-in-public-life-letter-christian-post
    Mais de 50 líderes religiosos proeminentes, incluindo os pastores de mega-igrejas TD Jakes e Joel C. Hunter, assinaram uma carta aberta aos membros do Congresso encorajando “busca pela alma” nacional e urgindo discurso civil na sequência do trágico tiroteio do Arizona.

A carta – assinada por líderes de várias religiões evangélicas, Protestantes, Católicos, Judeus, e Muçulmanos – foi publicada em anúncio de página inteira “Roll Call,” na quinta-feira.

Ela também incluiu notáveis líderes cristãos, o Rev. Canon Peg Chemberlin, presidente do Conselho Nacional de Igrejas, os quais representam 45 milhões de pessoas; o Rev. Jim Wallis, presidente e CEO da Sojourners; e o Rev. Richard Cizik, presidente da New Evangelical Partnership for the Common Good.

“Como os americanos e membros da família humana, nós estamos tristes pela tragédia recente em Tucson, no Arizona. Como líderes Cristãos, Muçulmanos e Judeus, nós oramos juntos por todos os feridos, incluindo a deputada do Congresso Gabrielle Giffords enquanto ela luta por sua vida,” abre a carta posta junta pela Faith in Public Life, uma organização que ajuda líderes emergentes religiosos a avançarem a fé na praça pública como um bem comum.

“Nossos corações partidos por aquelas vidas perdidas e pelos entes amados deixados para trás. Nós também estamos com vocês, nossos representantes eleitos, enquanto você continua a servir nossa nação enquanto lida com o trauma desse ataque sem sentido.”

Em 8 de janeiro, Jared Loughener abriu fogo em um encontro público organizado por Giffords, que foi baleado na cabeça e permanece em uma condição crítica. O atirador de 22 anos, atirou em outros 19, matando o Juiz do Distrito Federal John Roll, um dos seis que morreram durante o incidente.

Curta-nos no Facebook

O tiroteio do Arizona provocou uma retórica por especialistas da mídia liberal e líderes políticos que culpam os seus homólogos de incitar a violência e o ódio no espectro político.

Alguns mencionaram o líder Tea Party Sarah Palin cujo website do comitê de ação política usou imagens para marcar os distritos Democráticos que estava sendo alvo no período intercalar de Novembro. O candidao do Senado Republicano Sharron Angle tem sido acusado por usar linguagem de ódio na campanha eleitoral.

Muitos políticos e líderes cristãos, incluindo Franklin Graham, emitiram declarações para denunciar fortemente as acusações e exortar os líderes públicos a moldarem o civismo em atos e palavras.

A carta conjunta pelos líderes da fé ecoou o mesmo sentimento.

"Esta tragédia tem estimulado um tempo extremamente necessário de reflexão e diálogo com o público nacional sobre violência e virulenta retórica política," afirmou líderes religiosos. "Nós apoiamos fortemente a reflexão, enquanto estamos profundamente incomodados com esse rancor, ameaças e incivilidade que se tornaram comuns nos nossos debates públicos."

Os líderes religiosos também convidaram os membros do Congresso, em vez de envolver os adversários políticos, num espírito de partilha de valores americanos de civilidade e cooperação.

"Nós apreciamos os sacrifícios que você faz e os riscos que incorrem, ao aceitar um chamado para o serviço público, e nós pedimos que você continue a atuar como comissário de bordo da nossa democracia, envolvendo adversários ideológicos e não como inimigos, mas como companheiros americanos," insistiram eles na carta.

Discursando em uma cerimônia no Arizona para uma vítima de tiroteio, quarta-feira, o presidente Barack Obama desafiou os americanos que não fazem "explicações simples."

"A verdade é que nenhum de nós pode saber exatamente o que provocou este ataque vicioso," disse ele. "O que não podemos fazer é usar essa tragédia como mais uma ocasião para ligar um ao outro."

Os signatários da carta aberta se comprometeram a "promover um ambiente propício para os debates importantes e difíceis tão cruciais para a democracia americana."

A carta conclui: "Em nossas Igrejas, mesquitas e sinagogas, que não vêm juntas como membros de uma determinada ideologia ou partido político, mas como filhos de Deus e os cidadãos chamados a construir uma União mais perfeita. Oramos para que você faça o mesmo."

  • Victoria Osteen e seu esposo Joel Osteen, pastor sênior da Igreja Lakewood em Houston, Te...
  • ...
  • Brasileirão 2013: tabela de classificação completa após 1ª rodada...
  • Protestos ocorrem com a aprovação do casamento gay na França....
Não Perca