The Christian Post > Mundo|Seg, 1 Set. 2014 12:41 PM EST

Menino cristão de 5 anos é cortado ao meio por terroristas islâmicos

PorHamlet Kim | Repórter do The Christian Post

Um menino de 5 anos de idade, que é filho de um dos membros fundadores da Igreja Anglicana de St. George em Bagdá, foi morto por terroristas do Estado Islâmico, mais conhecido como ISIS, que cortaram o menino ao meio durante um ataque na cidade cristã de Qaraqosh.

"Estou quase em lágrimas, porque eu agora mesmo tive alguém no meu quarto, cuja criança foi cortada pela metade," o Canon anglicano Andrew White da Igreja de St. George disse ao Serviço de Notícias da Comunhão Anglicana na sexta-feira. "Eu batizei seu filho na minha igreja em Bagdá. Este menino, eles o nomearam com meu nome. Ele foi chamado de Andrew."

cristaos iraque
(Foto: Reuters)
Crianças cristãs iraquianas, que fugiram da violência na aldeia de Qaraqosh, sentam-se em um colchão no seu abrigo improvisado em um prédio abandonado em Arbil, ao norte de Bagdá, 11 de agosto de 2014.

Refugiados cristãos que fugiram para Qaraqosh buscando abrigo na cidade cristã foram obrigados a fugir de novo em dezenas de milhares quinta-feira enquanto forças do estado islâmico começaram a invadir as regiões controladas pelo Peshmerga no país.

Os pais do garoto morto e irmão, George, que possui o nome por causa da igreja anglicana em Bagdá, já teria fugido com outros cristãos para a cidade de Arbil, onde o consulado dos Estados Unidos está localizado, e onde o presidente Barack Obama disse que seria protegido pelos militares dos EUA através de ataques aéreos contra comboios do Estado islâmico.

Combatentes Peshmerga, de acordo com a Reuters, controlaram amplas extensões de território fora da zona autônoma, que serviu como um santuário para cristãos em fuga e outras minorias religiosas antes terroristas do Estado Islâmico chegarem à região no mês passado.

"Mas na semana passada viu os peshmerga desmoronar diante de um avanço pelos lutadores, que têm armas pesadas que eles apreenderam de soldados do Exército iraquiano que abandonaram seus postos em junho. Além disso, os lutadores estão cheios de dinheiro roubado de bancos", Reuters relata.

Curta-nos no Facebook

Shamil Abu Madian, um cristão de 45 anos de idade, disse à Reuters que ele fugiu da cidade de Mosul quando caiu em junho. Ele, então, procurou refúgio em uma cidade protegida pelo peshmerga", mas foi forçado a fugir novamente em pânico no meio da noite, quando as tropas curdas Peshmerga desapareceram de repente."

"Nós não fomos capazes de tomar qualquer coisa com a gente, excepto algumas roupas em um saco de nylon", disse Abu Madian. "As pessoas estão vivendo nas calçadas, em jardins públicos, em qualquer lugar."

White disse à ACNS que, com as contribuições financeiras de simpatizantes no exterior, a Igreja Anglicana no Iraque tem sido capaz de fornecer alimentos, água e suprimentos para os cristãos e outros grupos religiosos alvejados que já fugiram de Mosul e Nínive para regiões mais ao norte para escapar de terroristas Estado Islâmico.

"Nós precisamos de duas coisas: oração e dinheiro", disse White. "Com esses dois, podemos fazer alguma coisa. Sem isso não podemos fazer nada."

Ele continuou: "Eu tenho três Ps de que eu sempre menciono que é para proteção, provisão e perseverança. Precisamos de proteção, precisamos fornecer para as pessoas e precisamos seguir em frente."

O The Christian Post relatou nesta segunda-feira que os protestos destacando a situação dos cristãos iraquianos estão sendo realizados em todo o mundo, em parte por meio da promoção da campanha #WeAreN que chamou a atenção para a perseguição sem precedentes de cristãos iraquianos.

Os líderes ocidentais têm sido instados a pôr fim ao genocídio através de manifestações na França, Dinamarca, Alemanha, Inglaterra, Suécia, Austrália, Canadá e muitas cidades os EUA. Mesmo como apoiantes em todo o mundo, eles mudaram a foto de seu Twitter para uma imagem da letra árabe ن ou N, que significa Nazareno ou cristão em árabe.

Terroristas sunitas do estado islâmico são conhecidos por ter pintado a letra árabe "N" nas casas dos cristãos em Mosul antes de forçá-los a fugir da cidade, que agora está sob seu controle.

  • Victoria Osteen e seu esposo Joel Osteen, pastor sênior da Igreja Lakewood em Houston, Te...
  • ...
  • Brasileirão 2013: tabela de classificação completa após 1ª rodada...
  • Protestos ocorrem com a aprovação do casamento gay na França....
Não Perca