The Christian Post > Cristianismo|Ter, 5 Out. 2010 13:40 PM EST

Metodistas Unidos Retiram Apoio da Manifestação Liberal de D.C.

PorAudrey Barrick | Repórter do Christian Post tradutor Rodrigo L. Albuquerque

O braço do lobby da Igreja Metodista Unida retirou-se de uma manifestação de fim de semana que alguns retrataram como a antítese de um evento anterior Tea Party com o emissor conservador Glenn Beck.

Estima-se que 175.000 progressistas e liberais, no sábado assistiram a manifestação "Uma nação Trabalhando Juntos (One Nation Working Together)" no Memorial Lincoln em Washington, exigindo mais empregos e mais gastos para a educação e geração de energia para as eleições de 02 de novembro.

O Conselho Geral UMC da Igreja e Sociedade tinha concordado em endossar o evento, principalmente porque a manifestação foi anunciada como um evento que pretende "um país mais unido com bons empregos, justiça, igualdade e educação pública de qualidade para todos."

"Estas metas não são controversas e consistentes com a Escritura e os Princípios Sociais da Metodista Unida," disse Jim Winkler, secretário-geral da agência Metodista Unida.

Mas no mês passado, a manifestação - liderada por grupos de direitos civis, como a NAACP - assumiu um tom mais político e partidário, uma vez que atraiu o apoio de outras organizações que "criaram uma controvérsia enorme, desnecessária," observou Winkler.

"A inclusão destes grupos na lista de apoiantes tem reduzido grandemente os objetivos professos da manifestação e o conselho está muito desapontado que isso ocorreu," comentou ele.

Curta-nos no Facebook

Algumas das organizações signatárias incluem Associação Nacional de Educação, a Planned Parenthood, a Human Rights Campaign, National Center for Transgender Equality, Socialistas Democráticos da América da cidade de Nova York (New York City Democratic Socialists of America), e Americanos para Ação Democrática (Americans for Democratic Action).

Winkler indicou que a agência da UMC retirou seu apoio - um dia antes da manifestação - porque ela também estava sendo retratada como uma contra-manifestação para o comício de Beck em agosto.

O comentarista da Fox News Beck tinha atraído cerca de 500.000 conservadores, por sua estima, para o National Mall para a "Restauração de Honra (Restoring Honor)" da manifestação. Foi realizada no aniversário do discurso "I Have a Dream" de Marin Luther King, Jr. e era visto como parte do movimento Tea Party.

O Presidente da NAACP Ben Jealous insistiu que o evento "One Nation" não foi uma alternativa para o Tea Party, mas sim "antídoto" para ele.

Embora Jealous ter dito que a coalizão se uniu para oferecer uma alternativa positiva para a retórica negativa, conforme relatado pela CNN, Winkler viu o evento como pondo fogo com a falta de civilidade.

"Infelizmente, o discurso dentro dos Estados Unidos tem crescido cada vez mais discórdia," disse ele. "Talvez mais preocupante, o discurso dentro da Igreja Metodista Unida assumiu um tom muito descaracterizado dos princípios cristãos. E-mails e telefonemas feitos para o conselho de clérigos e leigos, foram chocantes no seu vitríolo."

Mark Tooley, presidente do Instituto de Religião e Democracia - um grupo de vigilância conservador que monitora as principais denominações - elogiou a UMC por recuar.

"Naturalmente, nós não sabemos se Winkler teria recolhido o endosso deste comício político de esquerda, sem e-mails e telefonemas irritados dos Metodistas Unidos. Mas ele merece o crédito para decidir acertadamente," disse ele em um comunicado.

Apesar da saída, Winkler salientou que as controvérsias que cercam a manifestação não prejudicaram o apoio da agência da Unidade Metodista aos esforços para um bom emprego, igualdade de justiça e educação pública de qualidade para todos.

O Conselho Geral de Igreja UMC e Sociedade é um dos quatro programas internacionais da Igreja Metodista Unida.

  • Victoria Osteen e seu esposo Joel Osteen, pastor sênior da Igreja Lakewood em Houston, Te...
  • ...
  • Brasileirão 2013: tabela de classificação completa após 1ª rodada...
  • Protestos ocorrem com a aprovação do casamento gay na França....
Não Perca