The Christian Post > Entretenimento|Seg, 13 Dez. 2010 01:48 AM EST

Michael W. Smith Recorda Toxicodependência, Goza da Identidade em Cristo

PorAudrey Barrick | Repórter do Christian Post tradutor Rodrigo L. Albuquerque

O cantor/compositor Michael W. Smith não foi o mesmo desde que Deus veio a ele mais de 30 anos atrás, durante o seu pior dia.

  • michael-wsmith
    (Foto: IAmSecond.com via The Christian Post)
    Cantor/Compositor Ganhador do Prêmio Grammy Michael W. Smith fala sobre seu passado de vício em drogas e sua identidade de agora firme em Cristo.

Embora ele tenha se tornado um dos mais reconhecidos e respeitados artistas da música cristã - com 44 Premiações Dove, três Grammy e mais de 15 milhões em vendas - que não era sempre fácil para Smith.

Em um depoimento pessoal compartilhado no site IAmSecond.com, o nativo de Virgínia Ocidental recordou três anos de sua vida quando ele foi "sugado" para a cena de drogas.

"Comecei a ser seduzido que você pode brincar com o fogo [e] não vai ficar queimado," disse ele em um depoimento em vídeo. "Mal eu sabia que eu estaria no maior abismo da minha vida e me sentindo como se não houvesse maneira de escapar."

"Fumar aquele primeiro baseado e me sentir tão culpado por isso, disse, recordando o seu uso de cocaína e LSD. "Eu fui sugado por essa coisa [e] por algum motivo eu justifico isso."

Smith tinha acabado de se mudar para Nashville após abandonar a faculdade para perseguir uma carreira na música. Ele tinha uma paixão para adorar a Deus através da música e sentir o chamado de Deus em sua vida aos 15 anos.

Curta-nos no Facebook

Crescendo, ele recordou "um momento lindo em sua vida," quando seu coração estava realmente atrás do Senhor e quando tudo que ele queria fazer era pegar uma guitarra e cantar canções de louvor.

"Deus tinha um chamado na minha vida e a música deveria ser uma parte disso," disse ele.

Mas quando chegou a Nashville, ele começou a ser seduzido, tocando em bares depois de horas e entrando no mundo das drogas.

"é quase como que a sua bússola ... desaparece," explicou ele, "e você entra neste mundo totalmente diferente e você realmente não percebe que está indo para baixo e depois, de repente, é tarde demais."

"Eu sabia que eu pertencia. Eu simplesmente não conseguia sair da bagunça em que eu estava," disse o artista de 53 anos.

Depois de uma experiência de quase-morte, Smith clamou a Deus para ajudar do piso de linóleo de sua cozinha. Ele começou a chorar sem parar. Era novembro de 1979.

"O Deus do Universo veio e chorou comigo nesse chão," lembrou. "E eu não tenho sido o mesmo desde então. Tudo mudou."

Dentro de um ano, Smith conseguiu um trabalho como compositor e logo depois teve sua própria gravadora.

Dar crédito a Deus por sua carreira imensamente bem-sucedida, ele disse: "Eu nunca poderia ter orquestrado nada disso. Deus é fiel."

Paz e esperança, destacou, não nega vender milhões de discos ou ser uma estrela de rock.

"Todas as coisas se dissipam. Não duram," frisou.

"A maior paz que eu tenho é que eu sei quem eu sou. Eu sou um filho do rei elevado do universo. Minha crise de identidade está resolvida."

O I Am Second é um movimento que começou em 2008, onde celebridades detalham suas lutas pessoais e partes como superaram as lutas através de encontrar sua identidade em Cristo. Cada celebridade testifica que Deus é o primeiro e eles estão em segundo lugar.

  • Victoria Osteen e seu esposo Joel Osteen, pastor sênior da Igreja Lakewood em Houston, Te...
  • ...
  • Brasileirão 2013: tabela de classificação completa após 1ª rodada...
  • Protestos ocorrem com a aprovação do casamento gay na França....
Não Perca