The Christian Post > Política|Ter, 19 Abr. 2011 08:10 AM EST

Muitos Cristãos Nascidos de Novo Defendem Pontos de Vista Universalistas

PorJennifer Riley | Repórter do Christian Post tradutor Amanda Gigliotti

Um em cada quatro Cristãos possui pensamento universalista quando se trata de salvação, de acordo com uma nova análise do Barna de dados sobre tendências.

Vinte e cinco por cento dos Cristãos nascidos de novo disseram que todas as pessoas são eventualmente salvas ou aceitas por Deus. Uma proporção similar, 26 por cento, disseram que a religião de uma pessoa não importa porque todas as fés ensinam as mesmas lições.

E uma proporção ainda mais alta, 40 por cento, dos Cristãos nascidos de novo disseram que eles acreditam que Cristãos e Muçulmanos adoram o mesmo Deus.

Barna definiu o universalismo como a crença que todos os seres humanos irão eventualmente ser salvos depois da morte. A pesquisa com base na Califórnia e empresa de pesquisa definiram os Cristãos nascidos de novo como pessoas que tem feito “um comprometimento pessoal com Jesus Cristo que é ainda importante em suas vidas hoje, e que acreditam que eles irão para o céu depois da morte, porque eles confessaram seus pecados e aceitaram a Jesus Cristo como seu salvador.

De acordo com a análise do Barna, 43 por cento dos norte-americanos em geral concordaram com a afirmação “Não importa que religião você segue eles todas ensinam as mesmas lições,” enquanto 54 por cento descordou.

O relatório sobre o que os norte-americanos acreditam sobre universalismo e pluralismo vem no tempo em que não somente evangélicos, mas mesmo a mídia secular, debatem os ensinamentos sobre a salvação e a idéia do universalismo devido ao livro de Pastor Rob Bell, O Amor Vence: Um livro Sobre Céu, Inferno, e o Destino de Cada Pessoa que já Viveu (Love Wins: A Book About Heaven, Hell, and the Fate of Every Person Who Ever Lived).

Curta-nos no Facebook

Semana passada, a revista Time publicou a sua reportagem da Semana Santa com uma história de capa das visões controversas de Bell contidas em seu novo livro.

Para muitos evangélicos, a idéia de que Cristãos exploram idéias universalistas é particularmente preocupante porque anula a necessidade de Cristo de morrer na cruz e da mensagem de Jesus que ele é o único caminho, verdade e vida.

Várias empresas de pesquisa relataram diferentes dados sobre a prevalência de crenças universalistas entre os crentes nascidos de novo e, mais especificamente, os evangélicos.

Uma pesquisa do Pew Forum 2008 revelou que 57 por cento dos evangélicos concordaram com a idéia de que outras religiões além da sua própria podem conduzir à vida eterna. Depois de ajustar a definição de "evangélico" porém, LifeWay Research, descobriu que apenas dois de 10 evangélicos concordaram com a afirmação de que a vida eterna pode ser obtida através de outras religiões além do Cristianismo.

Enquanto o universalismo não é nada de novo, alguns acreditam que as tendências culturais estão colocando pressão sobre os Cristãos e suas crenças.

Don Carson, professor de pesquisa do Novo Testamento na Trinity Evangelical Divinity School, disse na conferência nacional The Gospel Coalition (Coalizão do Evangelho) na semana passada que muitos estão sentindo a pressão da cultura "para encontrar o universalismo atraente."

"Há pressões em nossa cultura para reduzir o conteúdo de verdade das Escrituras e, em seguida, descartar simplesmente as pessoas dizendo que eles são intolerantes ou mente estreita ... ou fanáticas, sem de fato envolver a questão da verdade. E isso é realmente triste e no longo prazo, terrivelmente perigoso."

A análise Barna sobre as crenças a respeito do universalismo e do pluralismo é baseada em dados de entrevistas telefônicas realizadas pelo OmniPollSM e da base de dados do Barna Group TM theolographic de 2005 a 2011.

  • Victoria Osteen e seu esposo Joel Osteen, pastor sênior da Igreja Lakewood em Houston, Te...
  • ...
  • Brasileirão 2013: tabela de classificação completa após 1ª rodada...
  • Protestos ocorrem com a aprovação do casamento gay na França....
Não Perca