The Christian Post > Política|Ter, 17 Ago. 2010 11:38 AM EST

Os Cristãos Conservadores: Isso não vai Parar no Casamento Gay

PorLillian Kwon | Christian Post Reporter tradutor Thaís Martinez Gomes

Os cristãos conservadores não estão intimidados com os avanços que os defensores do casamento do mesmo sexo têm vindo a fazer nos EUA.

  • rally-traditional-marriage
    (Foto: The Christian Post)
    Uma manifestação sobre o casamento tradicional no Capitólio EUA atrai mais de 100 pessoas, domingo 15 de agosto de 2010. A Organização Nacional para o Casamento fez a sua última para a turnê de ônibus "Verão para o Casamento," em Washington, DC

De fato, eles acreditam que está ficando mais forte e que agora não é hora de desistir.

"A cada derrota, mais pessoas vêm para a frente e dizer:" Basta. Precisamos defender o casamento," disse Brian Brown, presidente da Organização Nacional para o Casamento (NOM), durante um comício de domingo.

NOM completou sua turnê de ônibus "Verão para o Casamento" que fez sua última parada em frente ao Capitólio, nos EUA. Brown visitou 23 cidades em 19 estados para proclamar a mensagem de que o casamento é uma união entre um homem e uma mulher.

Ele foi encontrado com centenas de manifestantes, muitos dos quais tentaram gritar e interromper as manifestações NOM.

"Eu vou dizer isto: Vamos responder a qualquer forma de ódio com o amor aqui hoje, porque sabemos de onde viemos, nós sabemos quem somos e sabemos do que se trata esta luta," disse ele no domingo na frente de mais de uma centena de apoiadores e dezenas de manifestantes.

Curta-nos no Facebook

"Trata-se de um profundo amor e respeito pela instituição que não foi o governo que criou, uma instituição que antecede as Igrejas, os governos ..., uma instituição que reúne as duas metades grande da humanidade - masculino e feminino."

Brown se aproximou da multidão no domingo, com a mesma linguagem que ele acredita que os defensores dos direitos dos homossexuais têm feito mau uso.

"Eu acredito que essa luta é o começo de um novo movimento de direitos civis, e não digo que de alguma forma superficial," disse.

Ele explicou ao Christian Post, em entrevista antes da reunião que "muitos líderes Africano-Americanos ... estão cansados de sua luta ser sequestrada por aqueles que estão tentando usar o movimento de direitos civis para redefinir o casamento."

Atacando contra a comparações entre as leis que proíbem o casamento interracial com aqueles que proibem gays e lésbicas de se casarem, Brown argumentou, "O casamento não é baseado em raça. É baseada no fato de que existem homens e mulheres e homens e mulheres se reúnem no casamento. Então, tentando comparar o casamento do mesmo sexo para derrubar leis contra o casamento interracial é comparar maçãs com laranjas."

Brown disse que não está lutando na batalha do casamento com a Escritura, mas com a razão e a Constituição.

"A razão pura só nos diz que o casamento é a união de um homem e uma mulher. Podemos compreender a razão por que o casamento é a instituição que reúne homens e mulheres juntos e conectá-los com todas as crianças que podem suportar. Nenhum outro relacionamento pode fazer o que a união faz. Nossa posição é baseada na Constituição e se baseia na defesa dos direitos civis - os nossos direitos civis."

As comunidades religiosas são conservadoras e lutam pelo direito de voto sobre a questão do casamento entre pessoas do mesmo sexo - em vez de permitir legislador ou os tribunais de pronunciarem sobre o assunto. Ao mesmo tempo, eles também estão tentando defender suas liberdades religiosas.

Se o casamento do mesmo sexo vencer nos estados e em todo o país, os Cristãos começarão a ver ações judiciais movidas contra eles, advertiu o Bispo Harry Jackson, um pastor de Beltsville, Md., que esteve na linha de frente do debate sobre o casamento em Washington.

Os grupos de defesa dos direitos dos homossexuais não vão parar no casamento, disse ele ao Christian Post.

Jackson os comparou com "os brutamontes no parquinho."

"Eles vão encontrar alguma outra forma de tomar o nosso dinheiro do almoço," disse.

Alguns desses ataques serão destinados ao conteúdo do sermão de um ministro.

"Eles dizem que não é certo para nós pregarmos a nossa visão do casamento, porque isso é um atentado contra os direitos civis de um outro grupo e eles igualam-no com a pregação do KKK," disse ele. "É muito grave."

Também prevendo as conseqüências, Brown assinalou que os Cristãos serão acusados de serem fanáticos se a linguagem como a observada em recente decisão do juiz Vaughn Walker derrubando a Proposição 8 na Califórnia, for posta em lei.

"As organizações religiosas vão ser punidas se o casamento do mesmo sexo estiver na Califórnia e em todo o país. Por quê? Porque nós estamos sendo chamados de fanáticos e diante da lei isso tem um tremendo efeito poderoso," Brown advertiu.

"Quando nossos filhos são ensinados em nossas escolas que é a mesma coisa Jimmy crescer e se casar com Johnny tanto quanto como ele se casar com Maria, e que, os pais, são intolerantes para ensiná-los de outra forma? Há certo núcleo civil que acaba de ser abreviado."

O juiz Walker decidiu no início deste mês que a alteração do Estado que define o casamento como entre um homem e uma mulher é inconstitucional. Ele escreveu em seu parecer que a emenda foi aprovada por 52 por cento dos eleitores da Califórnia por causa do medo," ou desaprovação moral para casais do mesmo sexo.

"A prova no julgamento sobre a campanha para aprovar a Proposição 8 desvenda a explicação mais provável para a sua passagem: um desejo de avançar na crença de que os casais do sexo oposto são moralmente superiores aos casais do mesmo sexo," escreveu o juiz Walker.

Defensores do casamento tradicional esperam que o caso do casamento da Califórnia chegue ao Supremo Tribunal Federal, onde estão confiantes de que vão ganhar.

"Os defensores do casamento homossexual tentaram roubar o direito do povo para votar em nome dos direitos civis. [Mas] você está roubando os direitos dos outros civis," comentou Jackson.

"De outro modo, as legislações [e] os juízes tem ultrapassado o alcance e violado o espírito da Constituição e traído o coração da cultura norte-americana," acrescentou. "Não está funcionando. E não prevalecerá."

Embora os defensores do casamento homossexual estejam empurrando o caso de que o casamento é um direito fundamental, Jackson defende o contrário.

"Nós discriminamos o casamento," observou. "Nós não vamos deixar irmãos e irmãs se casarem. Nós não vamos deixar as pessoas idosas e muitos jovens se casarem. Não vamos permitir que as pessoas se casem sob um monte de circunstâncias diferentes."

"Depois de dizer que este é direito de fundação, os seus argumentos são bastante lógico. Se você negar que esse é um direito fundamental, é irracional a partir desse ponto."

Sem planos de voltar atrás na luta do casamento, o bispo Jackson finalmente acredita que o casamento é uma instituição que foi fundada por Deus, um tesouro a preservar.

"Eu não acho que em sã consciência, podemos simplesmente deixá-lo ir," comentou. "Tenho dificuldade em acreditar que Jesus diria "Não se levante para que a Palavra diz."

"O casamento, na sua forma tradicional, é um dos maiores tesouros da nossa nação. É a primeira escola, é a primeira Igreja, é o primeiro lugar onde os valores são transmitidos de uma geração para a outra.”

  • Victoria Osteen e seu esposo Joel Osteen, pastor sênior da Igreja Lakewood em Houston, Te...
  • ...
  • Brasileirão 2013: tabela de classificação completa após 1ª rodada...
  • Protestos ocorrem com a aprovação do casamento gay na França....
Não Perca