The Christian Post > Política|Ter, 17 Ago. 2010 13:41 PM EST

Pesquisa: 1 Em Cada 8 Americanos Deixam o Cristianismo

PorAudrey Barrick | Repórter do Christian Post tradutor Thaís Martinez Gomes

Cerca de um em cada oito adultos é um "ex-cristão," revela uma nova pesquisa.

  • child-christian
    (Foto: AP / OLA al-Rifai)
    A menina acende velas da Síria na Igreja de Al-Salib (cruz) em Damasco, na Síria, domingo 27 de abril de 2008, enquanto celebrava a Páscoa ortodoxa. Pesquisa recente mostra que cerca de um em cada oito adultos é um "ex-cristão," de acordo com o Barna Group.

Estes incluem aqueles que deixaram a tradição protestante ou católica, de quando eles eram criança e que agora relatam serem ateus, agnósticos ou pertencentes à alguma outra fé, de acordo com o Grupo Barna.

Enquanto isso, aqueles que mudaram de uma fé não cristã ou de uma não-crença (a partir de sua infância) ao Cristianismo enquanto adulto, representam três por cento da população norte-americana.

Os resultados são baseados em entrevistas telefônicas provenientes de uma amostra aleatória de 2.004 adultos nos Estados Unidos. As entrevistas foram realizadas no outono de 2008 e verão de 2009. Os participantes foram solicitados a identificarem a sua fé da infância e sua fidelidade à fé atual.

A segunda pesquisa perguntou aos entrevistados se eles já tinham "mudado para uma fé diferente, ou alteraram significativamente suas visões de fé" ou se eles tinham "a mesma fé hoje como quando eram criança."

De acordo com o grupo de pesquisa cristã, as razões mais comuns para deixar o Cristianismo são as experiências de vida, tais como a obtenção de novos conhecimentos ou educação; sentir-se desiludido com a Igreja e a religião; sentir a Igreja ser hipócrita, ter experiências negativas nas Igrejas; estar em desacordo com o Cristianismo sobre questões específicas, como a homossexualidade, o aborto ou controle de natalidade, sentir que a Igreja é muito autoritária, querer expressar a sua fé fora da Igreja, e ir à procura de uma nova fé ou querer experimentar outras religiões.

Curta-nos no Facebook

As motivações principais para tornar-se um Cristão, entretanto, estavam em passar por eventos de vida difíceis; envelhecer e ver a vida de forma diferente; querer contato com uma Igreja e crescer espiritualmente; descobrir a Cristo, ou querer saber o que está na Bíblia.

A idade média em que os inquiridos mudaram de fé era aos 22 anos. Sessenta e oito por cento dos entrevistados tiveram uma mudança grande fé antes da idade de 30 anos.

Kinnaman David, presidente do Barna Group e diretor da pesquisa, ressaltou a importância de "manter-se em sintonia com as questões das pessoas e dúvidas."

"O Clero é tipicamente mais velho do que aqueles que atravessam sérias questões sobre sua fé e são menos prováveis de terem tido experimentado, pessoalmente, um período de re-orientação da própria fé,"observou ele. "Além do mais, nem todas as pessoas passam por uma crise de fé, por isso as pessoas que estão passando por transições espirituais muitas vezes passam despercebidas."

Globalmente, o Grupo Barna, situado em Ventura, Califórnia concluiu que menos de um quarto (23 por cento) dos inquiridos é ligado às tradições de fé - incluindo aquele que alternou entre o Catolicismo e o Protestantismo, mas não incluindo aqueles que mudaram de uma denominação protestante para outra.

Doze por cento dos adultos mudaram de filiação dentro da tradição protestante.

"O estudo destaca que a lealdade espiritual da infância é muito sustentável em nossa sociedade." disse Kinnaman. "[A] jornada de fé mais comum que as pessoas fazem é formar compromissos espirituais enquanto crianças e adolescentes que geralmente duram o tempo da sua vida."

  • Victoria Osteen e seu esposo Joel Osteen, pastor sênior da Igreja Lakewood em Houston, Te...
  • ...
  • Brasileirão 2013: tabela de classificação completa após 1ª rodada...
  • Protestos ocorrem com a aprovação do casamento gay na França....
Não Perca