The Christian Post > Política|Ter, 21 Set. 2010 20:10 PM EST

Pesquisa: 4 em 5 Americanos Dizem Aluno Pode Orar em Eventos da Escola

PorJennifer Riley | Repórter do Christian Post tradutor Amanda Gigliotti

A grande maioria dos norte-americanos, incluindo aqueles que não praticam qualquer fé em particular, apoiam a permissão de estudantes conferencistas de oferecerem uma oração em eventos da escola pública, encontrou uma pesquisa.

No total, 80 por cento daqueles que responderam a uma pesquisa feita pelo First Amendment Center (Centro Primeira Emenda), disse que eles pensam que os alunos conferencistas deverão ser capazes de fazer uma oração pública. Além disso, a maioria (59 por cento) dos que disseram que não praticam a religião apoiam a permissão desses alunos de orarem em eventos da escola.

"Claramente, a maioria dos americanos querem manter o governo fora da religião, mas não vêem uma expressão de fé de um aluno em um evento da escola pública como uma violação da separação entre Igreja e estado," disse Ken Paulson, presidente do First Amendment Center.

Ele acrescentou, "alunos de escolas públicas realmente apreciam um pouco da liberdade religiosa nas dependências da escola, mas as batalhas de alto nível sobre o início cerimônias e outros eventos em toda a escola deixaram a impressão oposta."

A pesquisa nacional, realizada pelo Grupo Pert entre 28 de julho e 06 de agosto, está baseada em entrevistas por telefone com 1.003 adultos. O First Amendment Center tem realizado pesquisas sobre o estado da Primeira Emenda anualmente desde 1997.

Além da oração escola pública, a pesquisa também constatou que mais de três em cada quatro americanos apoiam a proclamação de um Dia Nacional de Oração pelo Congresso ou o presidente.

Curta-nos no Facebook

A descoberta é encorajadora para os defensores da NDOP dada a decisão de um juiz distrital dos EUA no início deste ano que considera que o dia é inconstitucional porque aparentemente equivale a um apelo do governo para a ação religiosa. Não muito tempo após a decisão, o Pentágono rescindiu o seu convite para o evangelista Franklin Graham falar em seu evento NDOP sobre preocupações com suas observações sobre o Islã. Para muitos adeptos NDOP, a decisão judicial e a decisão do Pentágono, em conjunto, pareciam sinalizar um ataque à oração pública nos Estados Unidos.

"Esta situação que surgiu nas últimas semanas serve como um outro lembrete do ataque implacável contra a nossa liberdade religiosa e deve recordar a todos os norte-americanos de serem mais diligentes na defesa do patrimônio de liberdade e fé que nossos pais fundadores lutaram para que tempo definido nosso país," disse Shirley Dobson, presidente da Task Force NDOP, no evento do Capitol Hill deste ano.

Apesar da decisão, no entanto, o Presidente Obama continuou a tradição e emitiu uma proclamação para reconhecer o dia da oração.

A pesquisa mais recente sobre a primeira alteração, também encontrou que 53 por cento acreditam que a Constituição dos EUA estabelece uma nação cristã - um resultado semelhante ao encontrado no levantamento de 2008.

Sua liberação acontece poucos dias antes dos estudantes de todo o país reúnirem-se em oração para o evento anual "See You At The Pole," que será realizado quarta-feira de manhã.

  • Victoria Osteen e seu esposo Joel Osteen, pastor sênior da Igreja Lakewood em Houston, Te...
  • ...
  • Brasileirão 2013: tabela de classificação completa após 1ª rodada...
  • Protestos ocorrem com a aprovação do casamento gay na França....
Não Perca