The Christian Post > Mundo|Qua, 23 Fev. 2011 15:40 PM EST

Revoluções no Oriente Médio Provocam Reações Mistas dos Cristãos dos EUA

PorLillian Kwon | Christian Post Reporter tradutor Abigail Viana dos Santos

As revoluções em andamento no Norte África e no Oriente Médio contra os regimes autoritários estão provocando reações mistas dos Cristãos nos EUA.

Alguns dizem que os protestos pela liberdade são motivo de comemoração, mas os outros estão pedindo cautela.

"Temos de ser mais lentos ao comemorar essas mudanças," disse Michael Rydelnik, professor de estudos judaicos e bíblicos no Instituto Bíblico Moody em Chicago, Illinois, disse ao The Christian Post na terça-feira.

Ele não nega que a liberdade e a democracia foram superiores à ditadura, mas expressou preocupação sobre o que poderia substituir potencialmente os atuais regimes.

Poderia ser "maior influência para o Islã radical," Alertou. "O que vai levar a problemas."

"Os Cristãos devem ser cuidadosos em abraçar plenamente essas revoluções," Rydelnik explicou. "Esteja atento e em oração, porque isso pode levar a governos que oprimem e perseguem os Cristãos."

Curta-nos no Facebook

 Um pastor evangélico em Keller, Texas tem uma visão mais otimista.

 A reação imediata do Pastor Bob Roberts aos protestos anti-governo foi a seguinte: "Acho que é fantástico."

"Temos falado sobre como nós (os Americanos) desejamos a democracia no mundo. Bem, isso está acontecendo. O que é interessante é que isso está acontecendo sem nós," declarou ao CP. "Assim como os fundadores de nosso país escaparam de tiranos a mesma coisa está acontecendo no Oriente Médio."

E os Cristãos devem comemorar isso, ele insistiu.

"As pessoas têm uma responsabilidade moral para se levantar contra a injustiça, tirania e abusos de quem está no controle," explicou o pastor da Igreja Northwood. "Nossa história está repleta disso. As Escrituras estão claras para isso e nossa própria história é uma validação disso. Para nós, não comemorar os povos que querem viver em uma sociedade livre é para manter o mundo em cativeiro antigos, velhos paradigmas e futuros sem esperança."

Roberts, que se envolve com os Muçulmanos, tanto em sua comunidade e como no exterior, reconheceu que a Escritura também diz que devemos ser pacíficos para com todos os homens e respeitar a autoridade.

Mas ele rapidamente acrescentou que "quando a autoridade está abusando da humanidade, está violando a função de para qual foi colocada no poder. Os governantes devem manter a ordem, mas se eles não cumprem os direitos da lei moral, então isso é uma história diferente."

"Para dizer a um homem que porque um tirano está governando ele deve se submeter a esse tipo de abuso é como dizer a uma mulher sendo abusada por seu marido que ela deveria ficar - e então ela perde a vida," ilustrou.

As revoltas pela liberdade e pela democracia começaram na Tunísia, em dezembro, e se espalharam para os países vizinhos, incluindo o Egito, Barein, Líbia, Iêmen, Irã, Kuwait e Marrocos. Tunísia e Egito ambos viram a queda de seus presidentes. O líder líbio, Muamar Kadafi, por sua vez, prometeu manter-se no poder.

Em um comunicado televisionado, terça-feira, Kadafi disse que iria lutar até sua "última gota de sangue," conforme convocou seus partidários a atacar os manifestantes antigovernamentais.

"Eu vou morrer como um mártir no final," afirmou.

 Já, cerca de 300 pessoas foram mortas durante a repressão contra os manifestantes na Líbia. A secretária de Estado dos EUA Hillary Clinton disse que o derramamento de sangue é "completamente inaceitável."

Assim, o futuro está longe de ser claro. Rydelnik do Instituto Bíblico Moody sente ambivalente que, por exemplo, no Egito, aqueles que ganham o controle serão antiocidental, anticristãos e anti-Israel.

Ele teme que outros países possam seguir o mesmo caminho como o Irã, que passou de uma ditadura para uma teocracia islâmica. Assim, tornando-o pior para os Cristãos.

"Quando você olha para isso, vê que era muito melhor para os Cristãos e Oriente Médio, quando era a ditadura - uma moderada sob o Xá," observou.

"Acredito que nós, americanos, que defendemos a democracia - e isso é a coisa certa em muitos aspectos - vamos nos arrepender do que aconteceu no Oriente Médio, porque haverá uma maior influência do radicalismo islâmico," acrescentou.

Roberts acredita ser o melhor momento para lutar pela liberdade, incluindo a da religião.

"Acho que há uma chance melhor para hoje do que há três semanas," frisou, ao dizer que ele não poderia prever se a liberdade realmente resultaria das revoluções.

  • Victoria Osteen e seu esposo Joel Osteen, pastor sênior da Igreja Lakewood em Houston, Te...
  • ...
  • Brasileirão 2013: tabela de classificação completa após 1ª rodada...
  • Protestos ocorrem com a aprovação do casamento gay na França....
Não Perca