The Christian Post > Cotidiano|Ter, 15 Jun. 2010 01:00 AM EST

Não Há Tempo para Ministério Jovem Passivo

PorAudrey Barrick | Repórter do Christian Post tradutor Andrea Madambashi

Este não é o tempo para um ministério passivo, disseram líderes jovens urbanos, sábado.

  • urban-youth
    (Photo: Urban Youth Workers Institute via The Christian Post)
    Larry Acosta, fundador do Instituto Trabalhadores Jovens Urbanos, discursando para os líderes jovens em Bronx, Nova Iorque, sábado, 12 de junho de 2010.

Os jovens têm sido comissionados em gangues e mortos nas ruas, mas Larry Acosta do Instituo de Trabalhadores da Juventude Urbana encontraram muitas Igrejas dando aos jovens nada mais que o papel de passar pratos de oferendas todo o quinto domingo.

“Você está brincando comigo?” ele disse durante um treinamento de trabalhador jovem do Instituto, Reload 1.2.3., em Bronx, Nova Iorque.
“Você precisa comissionar jovens para liderar com oportunidades de ministério reais,” exortou ele. “Eu estou falando da próxima geração dando poder aos jovens para dar Estudos Bíblicos, para liderar pequenos grupos.”

Apenas um mês depois de aceitar a Cristo com cerca de 19 anos, Efrain Figueroa foi encorajado por seu líder a se tornar mais engajado e ativo no ministério. Dentro de um ano, ele se tornou presidente do grupo de jovens e diretor de um centro de jovens.

Figueroa não tinha experiência anterior, nem realação com Jesus antes de ele encontrar a si mesmo em uma Igreja, atrás de uma mulher. Ele tinha sido expulso do colégio e não pudia encontrar propósito ou valor para ele próprio.

Depois que seu líder de jovens, Mitchell Torres, fez uma aposta com ele e colocou o jovem e destemido Porto-Riquenho em posições de liderança, ele se encontrou valioso e tendo algo para dar.

Curta-nos no Facebook

E ele pagou por isso nos anos que se seguiram, investindo em adolescentes e confiando neles grandes papéis.

“O trabalho que nós precisamos para estar sendo feito está encontrando a grandiosidade em pessoas jovens,” disse ele em Reload 1.2.3., o qual foi transmitida ao vivo pela web para uma audiência nacional. “Eu estou buscando que [eles] sejam os próximos Billy Graham.

“Nós precisamos ver para que eles estão, quem eles são e deixá-los ser.”

Hoje, Figueroa é pastor Sênior da Assembléia de Deus Glad Tidings em Bronx.

Reiterando a significância do comissionamento dos jovens, Acosta desafiou jovens trabalhadores a serem “intencionais” em chamar jovens e engajá-los em ministérios.

“Este não é o tempo para brincar na Igreja. Este não é o tempo de ser suave,” enfatizou ele. “Este é [o] tempo de ser ousado e perigoso e inspirar jovens a mudarem o mundo. Ser intencional sobre encontrar jovens... destemidos guerreiros.

“Permitir a eles a participação em ... liderarem um sonho do Reino.”

Acosta desafiou ainda, jovens trabalhadores urbanos a não simplesmente conduzirem umas férias da Escola Bíblica para um grupo de garotos de Igreja este verão. Ao invés disso, ele os chamou a enviar seus jovens aos projetos – áreas de casas públicas – e para mostrar às comunidades como é quando Jesus aparece.

“Nós queremos que você conheça que nós acreditamos em você,” disse ele aos líderes da próxima geração. “Nós precisamos de você... para crescer e liderar Igrejas no futuro. Você estó vivo na história num tempo como este. Nós precisamos que você nos ajude a completar a Grande Comissão nas cidades, nas... vizinhanças, nos projetos, nos parques, nos lugares onde muitos da minha geração estão com medo de ir.”

O Instituto de Juventude Urbana foi fundado em 1997 inicialmente para equipar e mobilizar um grupo de líderes Latino na Costa Oeste. Isso foi crescendo e se envolvendo em comunidades urbanas multi-étnicas por todo o país e continua seus esforços em treinamento de líderes que treinam líderes.

  • Victoria Osteen e seu esposo Joel Osteen, pastor sênior da Igreja Lakewood em Houston, Te...
  • ...
  • Brasileirão 2013: tabela de classificação completa após 1ª rodada...
  • Protestos ocorrem com a aprovação do casamento gay na França....
Não Perca