The Christian Post > Cotidiano|Seg, 15 Abr. 2013 10:13 AM EST

Sex Shop Gospel? Produtos eróticos para evangélicos surgem no Brasil e levantam debate entre cristãos

PorAmanda Gigliotti | Repórter do The Christian Post

Sex shops cristãos estão surgindo no Brasil com o objetivo de animar o casamento dos fieis e causam divisão entre os evangélicos. As lojas propõem um serviço que é apropriado aos cristãos como discrição e sem imagens de nudez.

  • sexshopgospel
    (Foto: Sexshopgospel)
    Sex Shop Gospel é lançado no Brasil.

Segundo o IG, um dos empreendedores dessa área, Maicon Santos, solteiro de 30 anos, obteve a inspiração de páginas dos Estados Unidos. Maicon é idealizador do site brasileiro SexshopGospel, resultado de suas pesquisas sobre atrativos para ajudar na manutenção do relacionamento.

Diferentemente de outros sexshops, o SexshopGospel vende produtos sensuais considerados leves. “Não temos artigos sadomasoquistas, anais, nem homossexuais”, afirmou Maicon. Já há um ano mercado, ele afirma que assim o site vende bem.

Os sexshops cristãos normalmente tomam outros cuidados em comum como: não conter cenas de nudez nas embalagens, lingeries em manequins e não em modelos, sem venda de brinquedos para sexo anal e camisinhas, linguagem menos explícita, e envio de pedidos de forma discreta.

O site americano Hookin’ Up Holy, em sua propaganda em vídeo no Youtube, inclui em seus passos do processo de compra e uso do produto: colocar algo para as crianças se entreterem, trancar a porta do quarto, depois de receber o produto em casa e antes de usá-lo.

As lojas, entretanto, são um tabu para muitos cristãos que veem com olhos suspeitos o mercado. Em blogs cristãos, líderes evangélicos questionam se isso realmente é correto por focar-se nos prazeres da carne.

Curta-nos no Facebook

“Os cristãos verdadeiros não podem se calar diante de tanta corrupção. Precisamos nos levantar diante dessas afrontas e bradar – BASTA”, falou em nota sobre o assunto o Centro Apologético Cristão de Pesquisas (CACP).

Por outro lado, diversos outros defendem o novo serviço, afirmando que isso, inclusive, glorifica valores tradicionais através do fortalecimento dos casamentos.

Para o pastor Daniel Lopes, da Assembleia de Deus de Rocha Miranda, não há nada de errados com tais sexshops mas há um limite.

“Não vejo problema de casais casados comprarem artigos de sex shops, contanto que os dois concordem”, disse ele, segundo o O Dia.

Daniel cita o livro de Cantares para mostrar como deve ser uma vida a dois. “O mais importante é que haja amor, compreensão, diálogo, sinceridade e respeito entre o casal. Não existe casamento perfeito, mas existe casamento feliz.”

Pioneiros dos sexshops cristãos nos Estados Unidos afirmam ter iniciado a empreitada depois de tentar salvar o relacionamento sexual no casamento, mas fugindo da pornografia.

Joy Wilson, de 41 anos, fundou a Book 22 há cerca de uma década, quando ela teve problemas fazer “seu corpo responder” para o seu marido, depois de ter seu segundo filho. Entretanto, Joy ficou chocada quando ao buscar ajuda, se deparou com pura pornografia. Assim, ela resolveu começar seu próprio sex shop “livre de pecados”.

  • Victoria Osteen e seu esposo Joel Osteen, pastor sênior da Igreja Lakewood em Houston, Te...
  • ...
  • Brasileirão 2013: tabela de classificação completa após 1ª rodada...
  • Protestos ocorrem com a aprovação do casamento gay na França....
Não Perca