The Christian Post > Cristianismo|Qui, 20 Jun. 2013 10:02 AM EST

Silas Malafaia chama a mídia de mentirosa no projeto intitulado de ‘cura gay’

PorGiana Guterres | Correspondente do The Christian Post

O popular pastor brasileiro Silas Malafaia criticou nesta quarta-feira a cobertura da mídia sobre projeto aprovado pela Comissão de Direitos Humanos, que permite o tratamento psicológico aos homossexuais. Silas Malafaia apresentou diversos motivos para suas críticas quanto ao modo abordado pela mídia sobre o projeto que ficou apelidado de ‘cura gay’.

  • silas malafaia
    (Foto: Divulgação)
    Pastor da Igreja Assembleia de Deus Vitória em Cristo, Silas Malafaia.

“É um absurdo, uma afronta à inteligência humana, como a imprensa brasileira na sua grande maioria engole tudo o que o ativismo gay promove, como verdade absoluta, sem o mínimo de análise imparcial, sem ao menos buscar a opinião de partes contrárias, como se a verdade absoluta pertencesse ao ativismo gay”, afirma ele, no seu texto chamado “A mentira da imprensa sobre a ‘cura gay’”, no site Verdade Gospel.

“O projeto não visa curar ninguém. E pelo que me consta, a psicologia não se utiliza deste termo “cura”, disse o pastor e também psicólogo.

Segundo ele, nenhuma entidade de classe profissional, religiosa ou quem quer que seja, pode impedir uma pessoa de buscar ajuda se ela assim desejar e decidir. “O que o Conselho Federal de Psicologia fez ao impedir que psicólogos tratem de homossexuais que vão pedir ajuda sobre a sua sexualidade, é uma afronta a Constituição e a própria ciência”, complementou o pastor.

“Por que um heterossexual pode pedir ajuda a um psicólogo sobre sua sexualidade e um homossexual não? Em que parâmetros científicos e também legais você pode impedir um profissional de ajudar quem o procura?”, questiona a postura do Conselho Federal de Psicologia.

No terceiro ponto ele critica o Brasil por ser o único país onde um Conselho de Psicologia impõe uma resolução semelhante. “O Conselho Federal de Psicologia está ideologizado pelos ‘esquerdopatas’ e pelo movimento gay”, disse.

Curta-nos no Facebook

“Um princípio que rege o atendimento profissional a pessoas na área das ciências humanas é que o indivíduo é quem decide se quer ajuda ou não. Em hipótese alguma o terapeuta”, defende no quarto item da lista o direito do cidadão de procurar ajuda.

O pastor ainda questiona se o ativismo gay de ter o monopólio do homossexualismo. "É uma afronta aos direitos de cidadania! A pessoa é livre, seja homo, hétero, católico, evangélico e etc, de pedir ajuda a quem quiser”, afirma Malafaia.

“A safadeza da questão é que querem passar para a sociedade como se alguém estivesse obrigando os homossexuais a mudarem o seu comportamento, porque todos nós sabemos que qualquer psicólogo e médico que queira impor um tratamento a uma pessoa que não o deseja, é passivo de punição”, argumenta no sexto item.

Silas Malafaia conclui afirmando que a homossexualidade é um comportamento e não genética. “A verdade é a seguinte: homossexualismo é um comportamento que um indivíduo pode desejar ser ou não ser, da mesma forma que a religiosidade também é um comportamento do ser humano que ele pode deixar de ser ou vir a ser da religião que ele bem quiser”.

  • Victoria Osteen e seu esposo Joel Osteen, pastor sênior da Igreja Lakewood em Houston, Te...
  • ...
  • Brasileirão 2013: tabela de classificação completa após 1ª rodada...
  • Protestos ocorrem com a aprovação do casamento gay na França....
Não Perca