The Christian Post > Política|Seg, 30 Ago. 2010 00:52 AM EST

Trabalho de Agências Humanitárias é Elogiado no 5º Aniversário de Katrina

PorAaron J. Leichman | Repórter do Christian Post tradutor Nelson Azevedo

Cinco anos depois do Furacão Katrina ter devastado Nova Orleans e o Litoral do Golfo, sobreviventes e aqueles trabalhando para eles dizem que o trabalho ainda está longe de terminar.

  • Humanitarian services\hurricane-katrina
    (Foto: AP / Gerber Cheryl)
    Os voluntários trabalham com Rebuilding Together's Fifty for Five (50 por 5 Reconstruindo Juntos), em que voluntários de todo o país vieram para reconstruir 50 casas em cinco dias no bairro de Gentilly de Nova Orleans, quinta-feira, 26 de agosto de 2010. Reconstruindo Juntos, um grupo nacional sem fins lucrativos, criada para Fifty Five para comemorar o quinto aniversário do furacão Katrina e reconstruiu mais de 750 casas na Costa do Golfo desde 2005

Mas eles também estão enfáticos que o progresso que foi feito até agora é em grande parte devido ao apoio, fundos e trabalho da comunidade de fé dos EUA e agências humanitárias, relata uma dessas agências - Serviço Mundial da Igreja (CWS).

"Se não fosse pelos voluntários e agências que me deram assistência, eu não sei na onde que estaria," disse Gloria Mouton, 62, cuja casa na Nova Orleans do Leste estava entre as casas que foram reparadas por voluntários de todo o país durante o projeto ecumênico Vizinhança de Nova Orleans CWS 2009.

Ao dizer que a cidade "não está nem perto de onde deveria estar em cinco anos," com muitas áreas marcadas por lotes vazios ou cheios de mato, Mouton elogiou os esforços que lhe permitiram retornar à sua casa depois de dois anos de estar vivendo em Georgia com familiares enquanto esperava poder retornar à Nova Orleans.

"Esse é o meu lar onde quero ficar," disse a aposentada do governo, adicionando que o trabalho dos voluntários "veio a ser bom."

Ao restaurar a casa de Mouton e de outros, o CWS trabalhou junto com organização a longo prazo local de Nova Orleans chamada de Esforço de Recuperação da Aliança Crescente e com equipes de voluntários coordenadas por dez denominações membros do CWS dos EUA os quais fornecem mão de obra.

Curta-nos no Facebook

Fundado em 1946, o Serviço Mundial da Igreja é um ministério cooperativo de 36 denominações cristãs e comunhões.

"Eu nunca tinha me dado conta que havia tantas pessoas assim com o coração tão grande," contou Mouton à agência ecumênica.

Outro sobrevivente, Christopher Weaver, 48, concordou e elogiou os esforços que o permitiram voltar para a sua casa na Nova Orleans do Leste.

"Há pessoas que mostraram-me um novo estilo de vida," o cozinheiro de negócio próprio disse sobre o trabalho dos voluntários e das agências apoiadas pelo CWS que repararam a sua residência. "Foi uma grande experiência ver essas coisas acontecendo."

De Igrejas individuais que abriram suas portas para dar abrigo à sobreviventes até agências humanitárias religiosas e organizações de recuperação regionais de longo prazo, a resposta da fé salvou vidas, dizem aqueles que têm trabalhado sem parar nos últimos cinco anos desde que Katrina e Rita atingiram a região.

"Absolutamente," disse Jessica Vermilyea, a diretora da Resposta Luterana de Desastre e Resposta Luterana de Serviços Sociais e Desastre do estado de Louisiana. "Salvou famílias. Se não tivesse sido por aquela resposta, eu não sei o que teria acontecido."

E Ellenor Simmons, que ajuda a supervisionar projetos de recuperação a longo prazo para o Caminho Unido da Grande Nova Orleans, disse que a comunidade de fé era "excepcional."

"Realmente excepcional de todas as maneiras que pudessem ser," agregou ela.

Apesar dos elogios, há ainda muito trabalho de recuperação pelos danos do furação a serem terminados e ainda há pessoas nessa região morando em casas temporárias.

E enquanto há um sentido excepcional de reconstrução, a vida não é como antes.

"Há um 'novo normal,'" contou Simmons ao CWS.

"Depois de cinco anos, grupos de recuperação a longo prazo continuam a ajudar pessoas que ainda têm necessidades," adicionou a colega do Caminho Unido de Simmons, Benita Corley.

Mesmo assim, muitos em Nova Orleans e no Litoral do Golfo expressaram sua gratidão pelos esforços combinados das organizações locais, regionais e nacionais.

"Se fosse pela colaboração dessas organizações, muitas pessoas não estariam vivendo numa casa segura e sanitária," Corley comentou.

No domingo - cinco anos depois que Katrina atingiu desde a Baixa 9º Divisão de Nova Orleans até Biloxi, Mississippi - várias cerimônias especiais foram feitas em honra aos que morreram e para focar na reconstrução e no futuro. Em Nova Orleans, os sinos vão tocar na Catedral de São Luíz. Durante esse momento, na Baixa 9º Divisão, uma "cerimônia de recuperação" e marcha foram planejadas.

Mais de 1.800 pessoas ao longo do litoral do Golfo morreram na tempestade de 2005, a maioria em Louisiana. E mais de 80 por cento da abatida Nova Orleans ficou inundada.

De acordo com uma pesquisa liberada na quinta-feira, pelo não-partidário Centro do Banco de Pesquisa, 7 em cada 10 norte-americanos, ou 69 por cento, acham que progresso foi alcançado em reconstruir Nova Orleans e o Golfo.

Entres as pessoas do Sul - o que inclui os estados do Litoral do Golfo - 75 por cento disseram que progresso também foi alcançado.

A pesquisa também divulgou que 57 por cento acham que o país não melhorou suas preparações para desastres. Apenas 38 por cento disseram que o país está mais preparado do que anteriormente.

A Serviço Mundial da Igreja contribuiu à este artigo.

  • Victoria Osteen e seu esposo Joel Osteen, pastor sênior da Igreja Lakewood em Houston, Te...
  • ...
  • Brasileirão 2013: tabela de classificação completa após 1ª rodada...
  • Protestos ocorrem com a aprovação do casamento gay na França....
Não Perca