The Christian Post > Política|Sex, 21 Jan. 2011 10:30 AM EST

Tribunal Nega Pedido de Bloqueio de Construção da Mesquita NYC

PorLawrence D. Jones | Repórter do Christian Post tradutor Rodrigo L. Albuquerque

O Supremo Tribunal de Nova York negou o pedido, quarta-feira, para impedir a construção do centro cultural islâmico e mesquita perto do Marco Zero.

  • park-place
    Foto: AP Images / Lanzano Louis)
    Os pedestres passam pelo edifício do século 19 em Park Place, Manhattan, onde os Muçulmanos planejam construir um centro cultural e mesquita, sábado, 14 de Agosto de 2010, em Nova York.

Na semana passada, o Centro Americano de Lei e Justiça, que está representando o primeiro respondedor do 11/09, Tim Brown, em uma ação questionando o projeto, pediu alto tribunal do estado a concessão de uma ordem de restrição temporária de demolição ou construção no local Park51 proposta.

Em seus registros, o grupo disse que acreditava que a destruição do edifício seria iminente, citando duas denúncias de trabalho clandestino, sem autorização devida no local da mesquita.

Mas na quarta-feira, o tribunal rejeitou uma proposta de uma liminar, após um advogado que representa o desenvolvedor do Park51, Sharif El-Gamal, disse ao juiz que o projeto estava enfrentando "problemas de dinheiro" e que a construção do projeto ainda estaria "longe," de acordo com a ACLJ.

A audiência foi realizada dias depois que El-Gamal Abdul Rauf foi substituído, o imã que serviu como a face pública do projeto, com um outro imã, Abdallah Adhami.

Apesar da rejeição do Tribunal de Justiça do pedido de quarta-feira, um advogado da ACLJ indicou que a troca legal foi útil na medida em que revelou problemas no projeto.

Curta-nos no Facebook

"Esta confissão em audiência pública é um sinal importante que este projeto está em recessão e nos dá mais tempo para prosseguir o nosso desafio legal," disse o advogado Brett Joshpe em um comunicado.

O advogado que representa o El-Gamal também pediu ao tribunal para julgar o caso pelo motivo de que o Soho Propriedades não é o real proprietário do imóvel no local da mesquita.

Mas Josphe contestou a acusação, apontando para depoimentos dados por El-Gamal e seus representantes antes de Comissão Preservação de Marcos da cidade de Nova York que, em Julho, que nomeou o Soho Propriedades como o proprietário do imóvel em questão.

"Esta é apenas uma tentativa de desviar a atenção do mérito do caso," afirmou.

Nomes da ação de Brown da LPC da cidade, a Divisão Imóveis da cidade de Nova York, o prefeito Michael Bloomberg, e os desenvolvedores da mesquita como os réus.

A ação alega que a LPC abusou do seu poder discricionário e agiu de forma arbitrária nas suas deliberações no verão passado sobre a possibilidade de conceder o status de marco para a construção no 45-47 Park Place. O status de marco teria tornado difícil para os desenvolvedores construirem o Centro Islâmico e a Mesquita no local situado a duas quadras ataques terroristas de 11/0 9. Os responsáveis do projeto têm insistido que o centro vai promover a tolerância islâmica, ajudar a melhorar as relações entre Muçulmanos e o Ocidente, e servir como uma plataforma para as pessoas de todas as origens virem juntas.

A ACLJ também alega no processo que a Bloomberg e seu escritório ultrapassaram seus limites legais para auxiliar os desenvolvedores do projeto de US $ 100 milhões. O grupo está buscando a divulgação completa de comunicação entre o Gabinete da Bloomberg, a LPC, e os desenvolvedores mesquita.

Prevê-se que o Supremo Tribunal de Nova York julgue o caso em 22 de fevereiro.

  • Victoria Osteen e seu esposo Joel Osteen, pastor sênior da Igreja Lakewood em Houston, Te...
  • ...
  • Brasileirão 2013: tabela de classificação completa após 1ª rodada...
  • Protestos ocorrem com a aprovação do casamento gay na França....
Não Perca