The Christian Post > Cristianismo|Qua, 13 Out. 2010 19:37 PM EST

Tribunal Presbiteriano Afirma Ordenação de Parceiros Homossexuais

PorLillian Kwon | Christian Post Reporter tradutor Rodrigo L. Albuquerque

Um tribunal regional Presbiteriano confirmou a decisão de um órgão da Igreja de Wisconsin de ordenar um homossexual.

A Comissão Permanente Judiciária do Sínodo de Lakes and Prairies decidiu neste sábado que o John Knox Presbitério "agiu dentro de sua competência" ao aprovar a ordenação de D. Scott Anderson, em fevereiro.

A denúncia tinha sido apresentada em março pelo Igreja Presbiteriana Caledonia em Portage, Wisconsin, bem como os presbitérios da Flórida Central, Prospect Hill e Stockton, alegando que o Presbitério John Knox cometeu irregularidades ordenando alguém que não é elegível.

Eles afirmaram que Anderson foi aprovado como um Ministro da Palavra e dos Sacramentos, sem a expressar a vontade e intenção de cumprir com exigência constitucional da Igreja Presbiteriana (EUA) de que o clero vive em "fidelidade dentro da aliança de casamento entre um homem e uma mulher, ou a castidade no celibato."

Eles também alegaram que o presbitério excedeu sua autoridade através da concessão de uma exceção.

Anderson foi originalmente ordenado na PC (EUA), Presbitério Sacramento em 1983. Mas ele deixou de lado sua ordenação em 1990, após dois membros de sua Igreja, Igreja Presbiteriana Betânia, anunciou que ele era gay.

Curta-nos no Facebook

Em 2006, Anderson procurou ser ordenado novamente como um ministro da PC (EUA), após a Assembléia Geral - órgão máximo da denominação que rege - aprovar uma interpretação autêntica da constituição da Igreja que iria permitir os candidatos gays e lésbicas de ordenação para conscientemente oporem-se à proibição de parceiros homossexuais. O corpo local que ordena, consequentemente discerne se a oposição declarada é desqualificante.

Depois de assumir o caso, o alto tribunal regional Presbiteriano votou esmagadoramente que o Presbitério de John Knox estava dentro de sua autoridade no processo de licenciamento Anderson para declarar uma partida de um padrão de ordenação.

Anderson afirmou que seu relacionamento com seu parceiro de cerca de 19 anos é exatamente como um casamento, exceto para o aspecto procriador. Ele também disse que acredita que as Escrituras não condenam pessoas atividade sexual do mesmo sexo dentro de parcerias de compromisso, fiel, ao longo da vida.

Em um parecer divergente pelo tribunal regional, Charles E. Orr e Reginald S. Kuhn escreveu afirmando que a ação efetivamente permite um presbitério de invalidar a disposição constitucional da denominação.

"Nós não acreditamos que qualquer órgão administrativo, incluindo a Assembléia Geral, através do processo de interpretação autoritária ... possa, direta ou indiretamente, alterar uma disposição expressa do Livro de Ordem," escreveram eles.

O único fórum para a alteração é por e através dos presbitérios, observaram eles.

Até agora, os 173 presbitérios da PC (EUA) votaram três vezes contra excluir ou alterar a provisão "a fidelidade e a castidade" da constituição. Embora a Assembléia Geral tenha aprovado uma resolução para excluir a proibição de clero não celibatário gay, uma maioria dos presbitérios é necessária para ratificar a abertura.

Aqueles que apresentaram o plano de reclamação para recorrer da decisão de sábado.

  • Victoria Osteen e seu esposo Joel Osteen, pastor sênior da Igreja Lakewood em Houston, Te...
  • ...
  • Brasileirão 2013: tabela de classificação completa após 1ª rodada...
  • Protestos ocorrem com a aprovação do casamento gay na França....
Não Perca