The Christian Post > Cristianismo|Sex, 16 Mai. 2014 08:32 AM EST

Ver a imagem de Jesus em uma fatia de pão é algo normal, diz pesquisa da Universidade de Toronto

Pesquisadores explicam porque o ser humano visualiza rostos em objetos inanimados

PorLuciano Portela | Repórter do The Christian Post

Pessoas que veem a imagem com a face de Jesus em objetos inanimados, como uma fatia de pão, é algo "perfeitamente normal", pois os cérebros humanos estão "exclusivamente voltados" para reconhecer rostos, de acordo com estudo da Universidade de Toronto, no Canadá.

  • Imagem de Jesus
    (Foto: Divulgação/Burnt Impressions)
    A empresa Burnt Impressions vende torradeiras que imprimem a imagem de Jesus no pão.

Em parceria com universidades da China, os pesquisadores no Canadá determinaram a existência de um fenômeno psicológico no cérebro que tende a sempre detectar rostos em objetos, seja um homem na lua, nas curvas de uma batata ou o rosto de Jesus em uma fatia de pão ou uma árvore.

O fenômeno chamado como "pareidolia" ocorre quando duas partes do cérebro interagem e a pessoa determina uma imagem com base em outras fortes referências ou preconceitos pré-existentes, segundo o neurocientista Kang Lee. Assim, seria por isso que alguém muito religioso vê a imagem de Jesus ou da Virgem Maria em um objeto inanimado.

"Depende de sua experiência pessoal e suas expectativas pessoais. Assim, por exemplo, se você é religioso e quiser ver Jesus, então você verá Jesus. Se você quiser ver Maria, você vai ver Maria", disse Lee, que lembrou sobre pessoas são ridicularizadas por este tipo de visão ser tida como algo anormal.

Ao defender este tipo de pessoa, Lee argumenta que a visão é algo comum, pois com uma leve sugestão de característica facial, o cérebro automaticamente enxerga um rosto. "É simplesmente um reflexo do enorme poder que o nosso cérebro tem e como ele essencialmente se impõe sobre o mundo, ao invés do contrário", explica.

No teste, vinte pessoas, com idades entre 18 e 25 anos, tiveram contato com imagens aleatórias, e ainda assim, mesmo de forma esporádica, todos afirmaram ter visto o que queriam ver. Metade dos pesquisados viram letras e a outra metade viu rostos, mesmo que as imagens não exibisse nenhum dos dois.

Curta-nos no Facebook

Ao final, Lee concluiu ao jornal britânico Daily Mail que a necessidade de detectar um rosto está ligado à importância da interação social. "Essa tendência ambígua de detectar rostos nas informações visuais altamente adaptável, dada a importância suprema dos rostos em nossa vida social", finaliza.

  • Victoria Osteen e seu esposo Joel Osteen, pastor sênior da Igreja Lakewood em Houston, Te...
  • ...
  • Brasileirão 2013: tabela de classificação completa após 1ª rodada...
  • Protestos ocorrem com a aprovação do casamento gay na França....
Não Perca